Air Berlin corta em Portugal e não opera no Porto em W12

A Air Berlin não vai operar durante a próxima temporada de inverno a ligação entre o Porto e Palma de Maiorca. A 2ª companhia alemã em termos de passageiros transportados já tinha avisado em 2011 que sem apoios das entidades turísticas reduziria a sua presença em Portugal. A ameaça cumpre-se assim este ano, com o cancelamento durante o inverno das rotas de Porto e Lisboa, bem como redução de voos para Faro.

No que toca ao Francisco Sá Carneiro, perdem-se 2 frequencias semanais, com resultados manifestamente fracos durante o inverno passado (W11): cerca de 11.000 passageiros em 5 meses e uma ocupação média inferior a 60% durante esse período.

A Air Berlin vem apresentando prejuízos desde 2008 e prepara-se agora para vender 8 aviões. Foto tirada por Bastian Lahn

Infelizmente esta decisão, mais do que previsível é lógica: ao contrário da maioria das ligações Palma – Espanha (Península), Porto – Palma de Maiorca não desfruta nem de um volume de passageiros O&D significativo no inverno nem da falta de concorrência directa e indirecta a países como Alemanha, Suíça ou Dinamarca.

Programação de Inverno da Air Berlin / Niki

Uma das companhias mais destacadas deste ano embora pela negativa, a Air Berlin já concluiu os ajustes à sua programação de Inverno (W11) no Porto, resultando uma redução da já pequena operação para Palma da Maiorca para mínimos. A programação pode ser dividida em duas fases: 2011 e 2012.

Durante o período de W11 de 2011, a Air Berlin vai passar a operativa para as mãos da Niki, ao mesmo tempo que reduz para duas frequências semanais os voos entre Porto e Palma de Maiorca. A esta redução de 50% de frequências, há ainda que juntar a utilização de aviões A319 e A320, o que no total produz uma redução no número de lugares bastante significativa:

              Horário                                 Dias de operação*

HG7784 – 14:45 PMI – 15:30 OPO                  1 – 4          _

HG7785 – 16:15 OPO – 18:55 PMI                  1 – 4          _

A partir de 1 de Janeiro de 2012, a Air Berlin volta a tomar conta da linha, aumentando gradualmente o número de frequências semanais de 2 para 4, ficando a programação aproximadamente igual à temporada W10:

              Horário                                 Dias de operação*

AB7784 – 14:45 PMI – 15:30 OPO                 1 – 2 (¹) – 4 – 6 (²)

AB7785 – 16:15 OPO – 18:55 PMI                  1 – 2 (¹) – 4 – 6 (²)

² – a partir de 3 de Fevereiro

 ¹ – a partir de 20 de Fevereiro

1- Domingo  2- Segunda-feira  3- Terça-feira  4- Quarta-feira  5-Quinta-feira  6-Sexta-feira  7-Sábado

A319 da companhia austriaca Niki. Foto tirada por Danijel Jovanovic

A Air Berlin tem sido castigada nos principais aeroportos portugueses pela inércia do seu departamento Ibérico face ao mercado, o que aliado a uma ocupação média (PMI-OPO-PMI) na temporada de Inverno 2010 inferior a 50% e às dificuldades da empresa no seu todo levam a que estes cortes fossem mais que esperados.

Air Berlin critica ausência de promoção de Portugal na Alemanha e ameaça cancelar a rota do Porto

Em conferencia de imprensa, Pablo Caspers, subdirector da airberlin para Portugal e Espanha, apresentou os números da companhia alemã registados pela companhia durante a presente temporada (até 7 de Maio). Nos 3 aeroportos do continente onde opera, todos apresentaram quebras no número de passageiros.

Considerando isto, o caso da ligação Porto-Palma de Maiorca é o mais grave. A companhia perdeu desde o principio deste ano -43,7% dos seus passageiros, e -16,8% durante Abril. Quebra esta que está proporcionalmente ligada ao corte brutal de frequencias que vem sendo feito desde Outubro de 2010, sendo que em 2011 o corte situa-se nos -43,2% e em Abril nos -24,3%.

Pablo Caspers atribui esta quebra à falta de procura do mercado alemão, devido à inexistência de acções de promoção turística promovidas pelo Turismo de Portugal. Neste sentido, o subdirector da airberlin para Portugal e Espanha admite que “a rota pode desaparecer algum dia se o Porto não criar procura” e que esta “a tentar falar com o Turismo de Portugal para explicar a situação e evitar fechá-la [rota Porto – Palma de Maiorca]”. Para colmatar esta falha, sugere um trabalho conjunto de promoção turística entre a empresa e os actores turísticos da região, como os empresários de hotelaria, para “aproveitar-se dos alemães que são campeões do mundo em viajar”. Para terminar, sublinhou ainda a vontade de fazer a ligação funcionar “Voamos porque queremos o trajecto mas não temos apoios e só queremos criar procura”.

A Air Berlim é a maior companhia no aeroporto Son Sant Joan de Palma de Maiorca, onde montou um hub entre a Peninsula Iberica e o norte da Europa, especialmente a Alemanha

Este blog, no entanto, faz uma outra análise e considera que esta queda generalizada se deve à pouca competitividade do hub de Palma de Maiorca nas deslocações Alemanha – Portugal continental, e no caso específico do Porto, também à redução brutal de frequencias.

1. Fraca competitividade do hub de Palma de Maiorca

O hub de PMI é uma solução muito interessante para transportar passageiros entre a Alemanha e Espanha. As relações entre a ilha e as principais cidades espanholas é óbvia, permitindo um número de passageiros ponto-a-ponto suficientemente grande para sustentar boas frequencias. A isto soma-se a grande falta de ligações dessas mesmas cidades ao norte da Europa sem passar por Madrid e uma concorrência fraca ou inexistente, o que resulta em resultados muito positivos. No caso português, os 3 aeroportos do continente contam com a presença da Lufthansa, que assegura voos directos para a Alemanha com um maior número de frequencias, aviões de maior capacidade e uma rede invejável a partir dos seus hubs. No AFSC, a Lufthansa mostrou-se recentemente muito satisfeita com a sua rota OPO-FRA classificando-a como a que tem registado o desenvolvimento mais positivo de todas as rotas portuguesas. Recorrendo mais uma vez ao exemplo espanhol, verifica-se que em todas as cidades onde a Lufthansa e a Air Berlim competem, a segunda tem pelo menos uma ligação directa com um dos seus hubs no centro da Europa:

Barcelona – Berlim, Düsseldorf, Hamburgo, e Estugarda;
Bilbao – Düsseldorf;
Madrid – Viena;
Málaga – Berlim, Colónia, Düsseldorf, Hamburgo, Hanôver, Munster, Munique, Estugarda e Zurique;
Valencia – Colónia e Viena

Para além da Lufthansa, a Ryanair tem vindo a apostar pelo mercado alemão, explorando 5 rotas directas entre o Porto e a Alemanha.

2. A retirada silenciosa da Air Berlim – análise dos resultados no Porto

Para facilitar a leitura dos dados, apresentam-se duas grupos de gráficos: um sobre os resultados anuais de 2008 a 2010, e o segundo sobre os de 2010 e 2011.

Estatística dos passageiros da Air Berlim no Porto entre 2008 a 2010
Estatística dos movimentos da Air Berlim no Porto entre 2008 a 2010
Média de passageiros por voo da Air Berlim no Porto entre 2008 a 2010
Comparação dos dados de passageiros, movimentos e ocupação média

Aqui é possível verificar que a tal procura que a Air Berlim se queixa de não existir devido à falta de promoção do destino, já existiu durante uma certa altura, sendo que o ano passado até registou uma subida de passageiros de 1,9% perante um corte de 6,4% nas frequencias, tendo ficado com uma média de 133 passageiros por voo, o equivalente a 87% em A319 ou 76% em A320.

Estatística dos passageiros da Air Berlim no Porto entre Abril 2010 e Abril de 2011
Estatística dos passageiros da Air Berlim no Porto no primeiro quadrimestre de 2010 e 2011
Estatística dos movimentos da Air Berlim no Porto entre Abril 2010 e Abril de 2011
Estatística dos movimentos da Air Berlim no Porto no primeiro quadrimestre de 2010 e 2011
Estatística da ocupação da Air Berlim no Porto entre Abril 2010 e Abril de 2011
Estatística da ocupação da Air Berlim no Porto no primeiro quadrimestre de 2010 e 2011

Comparando o primeiro quadrimestre deste ano com o de 2010, os dados são claros: houve uma clara diminuição dos movimentos e consequentemente, uma queda proporcional dos passageiros, tendo a ocupação mensal aumentado significativamente, ainda que a ocupação anual continue em níveis baixos.

3. Rotas potencais: a solução?

Atendendo a todos estes factores, acredito que a Air Berlim ainda pode ter um papel muito importante no Francisco Sá Carneiro. A reputação que possui na Alemanha, a relação qualidade/preço, a futura entrada na aliança Oneworld, e o impulso que poderá representar para o novo aeroporto de Berlim Brandenburg (BBI) como grande hub, demonstram o potencial que ainda pode ser explorado. A solução passa, na minha opinião, pela exploração das várias oportunidades de rotas directas à Alemanha referenciadas, como Berlim, Hamburgo ou Munique. A exploração destas três rotas, segundo a ANA, movimentaria cerca de 110.000 passageiros anuais,  sendo uma boa fatia passageiros de negócio.

Ocupações para a semana 17 a 23 Abril

Numa das melhores semanas do aeroporto, tendo em conta que ainda não estamos na “temporada alta”, apresentam-se os efeitos da presente época para os números do aeroporto e das companhias, com base nas ocupações que tem neste momento asseguradas. Pelo elevado número de frequencias analisadas e pelo tempo que demorou a reunir todos estes números, é possível que alguns estejam já desactualizados devido a procura de última-hora, sendo que o objectivo deste artigo é apenas uma visão geral sobre as principais operações da próxima semana.

A Aigle Azur é uma das companhias com as ocupações mais impressionantes, ainda para mais tendo em conta que opera com aviões A321 com capacidade para 214 passageiros e a forte concorrência que existe em todas as rota de Paris.

Sobre a Air Berlim, que serve em exclusividade a rota Porto-Palma de Maiorca, há a destacar a ocupação de 96% (179 pax.) dia 17 Abril no sentido OPO-PMI. No sentido contrário, os dados são mais interessantes, com 3 frequencias a 100%, nos dias 22, 24 e 25 Abril (174, 174 e 210 pax. respectivamente) e de 96% dia 23 (178 pax.).

O braço regional da Iberia, a Air Nostrum, apresenta ocupações muito boas tanto na primeira frequência diária no sentido OPO-MAD (IB8721), mas principalmente nos voos MAD-OPO, principalmente o segundo da manhã (IB8726). Excluíram-se da tabela os voos IB8727, IB8723 e IB8725 por não apresentarem ocupações consideráveis.

Os principais dados da Brussels Airlines vem nos voos de Bruxelas para o Porto (SN3811), que apresentam sempre ocupações iguais ou superiores a 90%, excluindo dia 20. No sentido OPO-BRU (SN3812), as ocupações vem em linha com o que se passa no resto do ano, tendo sido excluídas da tabela.

Devido ao grande número de frequencias que a EasyJet tem no Porto, algumas ocupações não constam do gráfico por serem inferiores a 80%. Outra alteração em relação às outras tabelas é que devido à imprevisibilidade quanto à aeronave utilizada em algumas rotas (A319 ou A320), substituiu-se o número de lugares ocupados pelo número de lugares disponíveis. Para o calculo das ocupações foi utilizado o A320 para a linha Genebra, sendo o feito com o A319 para todas as outras. Foram retirados da tabela os voos U2 2720 e U2 2722 (OPO-MXP) por não ter ocupações acima dos 80%, excepto o de dia 17 com 84%.

A Lufthansa, apesar da natureza da ligação entre o Porto e Frankfurt, também vai ter 4 frequencias no sentido FRA-OPO bem preenchidas. Dia 19 e 20 os voos com o número LH1178 estão completos a 98% e 96%. Ainda dia 20, outra das 3 frequencias diárias, com o número LH1180, está a 99% de ocupação, e no dia seguinte, a 100%.

A companhia de bandeira do Luxemburgo também se prepara para aproveitar a época com 2 das suas frequencias LUX-OPO com 94% e 100% ocupação. Os voos em causa são os LG3769 de 20 e 21, ambos operados com Boeing B737-700.

Apesar de ter uma presença muito pequena no aeroporto, com apenas 2 frequencias semanais para Casablanca, há a destacar uma ocupação a 100% no voo AT966 (CMN-OPO) de dia 23. Este dado reveste-se de especial importância, tendo em conta os dados pouco favoráveis com que começou a operação em Dezembro do ano passado e que até levaram ao cancelamento quase imediato de uma das frequencias semanais previstas.

Aquela que é nestes momentos a maior companhia no AFSC mostra-se com ocupações excelentes em quase todas as suas rotas. As únicas rotas que não apresentam ocupações acima dos 85% são Carcassone, La Rochelle, Marrakech, Rodez e Tenerife Sul. Algumas rotas não conseguiram ocupações acima dos 85% em apenas um sentido, como é o caso de Bordeus (sentido OPO-BOD), Faro (FAO-OPO), Gran Canária (LPA-OPO), Lille (OPO-LIL), Madrid (OPO-MAD), Memmingen (OPO-FMM), Paris Vatry (OPO-XCR), Pisa (OPO-PSA), St. Etienne (OPO-EBU) e Valência (OPO-VLC).

Como não podia deixar de ser, a SATA também vai ter excelentes ocupações, principalmente na rota de Ponta Delgada, como se pode ver na tabela abaixo.

A TAP não foge à regra e também apresenta excelentes ocupações em muitas frequencias. A destacar a performance das rotas de Paris (Orly), Milão (Malpensa), Roma (Fiumicino), Bruxelas, Luxemburgo e das rotas intercontinentais no sentido Porto. De forma a distinguir os vários aviões, bem como o respectivo número de lugares com que as frequencias vão ser efectuadas, foram utilizadas 6 cores, que podem ser identificadas da seguinte forma:

Foram excluídos da tabela todos os voos com Lisboa, Madrid, Londres (Gatwick) em ambos os sentidos. Também não estão representados alguns voos com partida do Porto para Zurique, Genebra, o TP1583 para o Funchal, e as intercontinentais. Na rota do Funchal, não estão representados os voos com partida do Funchal, havendo apenas 3 frequencias com valores acima dos 80%, como o TP1574 com 92% (122) de ocupação no dia 22, e os TP1580 nos dias 20 e 21 com 92% (122) e 95% (125) respectivamente. No caso de Madrid, no sentido OPO-MAD, apenas a destacar os voos TP702 de dia 18, com 82%, os TP704 de dia 19 e 23 com 82% e 96%, e no sentido MAD-OPO o TP701 de dia 18 com 80%, o TP707 de dia 21 com 91%, e principalmente, o TP703 com 100% de ocupação. Quanto a Londres (Gatwick), apenas a registar o TP334 dia 17 com 89% (117) no sentido OPO-LGW, e os TP337 dia 18 com 89%(117) e TP331 com 92% (121) no sentido inverso. Nos voos à partida do Porto para Zurique e Genebra, bem como nas rotas intercontinentais não foi possível calcular a ocupação.

Na principal rota da Transavia, Paris (Orly), é possível verificar 2 frequencias (TO 3404) a 98%, a 17 (183) e a 20 (182) de Abril, havendo ainda um reforço de uma terceira frequência diária em alguns dias. No domínio domestico, o voo TO 3404 entre o Porto e o Funchal, tem já ocupados 181 lugares, o equivalente a 97% da capacidade .A rota de Nantes, que regressa a 22 Abril, dá um excelente sinal com uma ocupação de 98% (182 pax.) no voo TO 3964.