Do Porto a Helsínquia em 4h20, com os novos voos diretos da Finnair

AY_B

A Finnair anunciou hoje a abertura de uma nova ligação direta entre o Porto e Helsínquia para a próxima temporada de Verão. Trata-se de uma operação sazonal, entre 21 de Junho e 12 de Agosto, com duas frequências semanais (2ªf e 6ªf) operadas com equipamento Airbus 319 de 138 lugares. Do Porto a Helsínquia o tempo de voo previsto é de 4h20, enquanto no sentido contrário a duração prevista é de 4h30. Os horários estão talhados para o passageiro ponto-a-ponto de city break, principalmente no sentido Finlândia -> Portugal.

Até há muito pouco tempo, a transportadora finlandesa tinha uma presença muito discreta no mercado português, limitada quase em exclusiva aos voos para o Funchal e charters para o Algarve. A situação começou a inverter-se este ano de 2018, com a entrada da companhia em Lisboa. Os resultados dessa operação, bastante acima do esperado, levaram a companhia a oferecer um voo diário anual a partir da capital, e motivaram agora a expansão para o Porto em 2019. Uma táctica seguida por outras companhias no passado recente, como a Aegean, Air Canada Rouge, Sund'Or-El Al ou Wizzair, com resultados muito positivos.

Com a chegada da Finnair, o Porto ganha uma nova ligação à Escandinávia, um mercado dificil e para onde a oferta direta do aeroporto Francisco Sá Carneiro é ainda muito limitada. Uma operação bem sucedida para a Finlândia serviria como exemplo de que vale a pena apostar por este tipo de rotas, ocupando esse espaço que agora é preenchido pelas companhias de rede através dos seus hubs. Uma operação muito bem sucedida poderia ainda ser escalada por forma a aproveitar o potencial de Helsínquia como hub regional e para a Ásia, acrescentando capilaridade para o Báltico, Norte e Leste da Europa, desenvolvendo ainda mais as ligações à Índia e ao Extremo Oriente e reposicionando a rota Porto-Helsínquia no core business da Finnair de hub-and-spoke.

AY_A32S_OH-JZB
Foto tirada por Joonas Puhakka
Porto - Helsínquia
De A Frequência Partida Chegada Nº voo Equipamento
21 Jun. 09 Ago. - - - - 5 - - 20:00 02:20 (+1) AY 1690 Airbus 319
24 Jun. 12 Ago. 1 - - - - - - 10:25 16:45 AY 1688 Airbus 319
-
Helsínquia - Porto
De A Frequência Partida Chegada Nº voo Equipamento
21 Jun. 09 Ago. - - - - 5 - - 16:35 19:05 AY 1689 Airbus 319
24 Jun. 12 Ago. 1 - - - - - - 07:00 09:30 AY 1687 Airbus 319

_________________________________________________________________

1-Segunda-feira    2-Terça-feira    3-Quarta-feira    4-Quinta-feira    5-Sexta-feira    6-Sábado    7- Domingo

+1: Dia seguinte                          As horas são locais

 

22 comentários em “Do Porto a Helsínquia em 4h20, com os novos voos diretos da Finnair”

  1. Tenho acompanhado esta rota de perto e para amanhã, por exemplo, OPO-HEL está cheio, enquanto que no sentido inverso só falta vender 1 lugar…
    Nos outros dias as ocupações também rondaram os 90%-100%. É de prespetivar que daqui para a frente os episódios sejam semelhantes face aos preços praticados.
    Creio que S20 será muito promissor para esta rota, não só com o aumento de frequências bem como em “aumentar” o período temporal da sazonalidade!

    1. Estão a ter resultados excelentes, tanto mais que a capacidade real está 20% acima da que foi anunciada inicialmente e os voos mesmo assim estão a sair praticamente completos. Espero que em S20 vejamos uma operação já mais musculada, idealmente a permitir algumas conexões também, à semelhança do que fizeram em Lisboa.

  2. O voo inaugural é já daqui a uma semana, e está agora programado com A321. Há muitas outras frequências que também sofreram upgauge para A320. Pelos preços a coisa parece estar a correr muito bem também.

    1. Tem nos de 2ªf OPO-HEL e 6ªf HEL-OPO.

      Com o horário de 2ªf dá para fazer ligação ao voo da Japan Airlines de Helsínquia a Tóquio, e às 6ªf no de Tóquio para Helsínquia, embora com apenas 1 frequência semanal o impacto será sempre residual. Estou ainda é à espera de ver o code-share da TAP, que seria aquele com maior impacto na minha opinião.

  3. Já há algum tempo que não vinha ao blog e é uma alegria vir e ver que o número de companhias e o número de passageiros não param de crescer.
    Que orgulho ver o nosso AFSC ganhar esta dimensão!
    Abraço a todos
    P.S. Pete obrigado por continuares a tratar deste incrivel blog!

    1. Grato a todos, pelo imput que inúmeras pessoas dão constantemente, a este Blog !. Agradecimento especial ao Pete, que é sem duvida, o cérebro desta página !.

  4. Espetacular! E dá para passar um fim-de-semana em Helsínquia, se os preços forem convidativos…
    Espero que corra bem, os dias e horários são bons!

    1. A partir do Porto é sempre um fim de semana algo curto, mas sim, é possivel. A partir de Helsínquia melhor, 6ªf à tarde até 2ªf de manhã.

  5. Execelente sem duvida! Em S20 é para as 3/4xw e em S21 vai ao diário. Com os horários adaptados às partidas para a Ásia e médio oriente, claro, mas acho que é possível.

    1. Também me parece. Daqui até 2022 a Finnair vai aumentar muito significativamente a frota de longo curso, e para isso vão precisar de crescer a operação europeia para terem mais feed. É um bom momento para aproveitar.

  6. É pena apostarem só no p2p, mas não deixa de revelar a capacidade turistica que temos neste momento.

    A finn seria interessante para voos de ligação, mas talvez fique para segundas núpcias.

    De qualquer forma é mais um sinal evidente que estamos cada vez mais noutro campeonato e teremos no futuro mais companhias a apostarem no AFSC.

    1. Com ponto-a-ponto dá para por o pé na água e ver como reage o mercado. Se o mercado estivesse mais maduro, se calhar arriscavam já uma operação mista para ligações também, mas ainda não estamos lá.

    1. Não sei se o pico do Verão para aqueles lados seja o mesmo que o nosso. E a rota é a pensar no Porto como receptor e não emissor creio.

  7. Há um fenómeno muito curioso nas rotas para a Escandinávia, quando comparadas as restantes rotas europeias e do norte de África. Para além de nunca ter havido uma aposta sólida de nenhuma companhia (a única rota que temos para a região é Copenhaga e não tem crescido), a rota para Estocolmo fechou para aí há 10 anos e nunca mais ninguém lhe pegou. Nem a Ryanair, que foi quem a operou, nem nenhuma outra companhia. Desde então já tivemos inúmeros outros cancelamentos que, quase sempre, tiveram mais tarde ou mais cedo, reaberturas, seja pela mesma companhia, seja por outra, casos de Munique, Bristol, Birmingham, Marrakesh, Casablanca, Nuremberga, Viena, Palma de Maiorca, Valencia, e, a partir de S19, Veneza e Brive. Assim de repente, fora Estocolmo só me lembro de Pisa e Argel não terem voltado.

    Vai daí pergunto, qual o motivo desta alergia do Porto ao mercado escandinavo?

    1. O mercado escandinavo é muito particular, aquilo é dominado pelos operadores locais que têm custos operacionais muito elevados. Custos operacionais muito elevados, em rotas longas, para servir mercados ainda muito “verdes” não são uma conjugação convidativa. Se reparares, nos outros casos, há sempre uma dessas condições que não se verifica.

      Mas confio que arrancando, e correndo bem, a situação vai melhorar.

    1. Com estes horários só meia dúzia é que vai fazer ligações a Ásia. Para isso precisa de mais frequências e outros horários.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.