Iberia introduz equipamento próprio na rota de Madrid a partir de Março

IB_B

Em conferência de imprensa organizada ontem no Porto, a Iberia anunciou o regresso com equipamento próprio à rota Porto-Madrid a partir de 25 de Março 2018. A programação indica voos em Airbus 319 com 141 lugares, mais 41 que os Bombardier CRK que a Air Nostrum utiliza atualmente. A maior dimensão dos aviões, aliada à maior eficiência operacional da Iberia permitirão mais espaço para a companhia ser mais agressiva comercialmente, nomeadamente no ponto-a-ponto e nas ligações europeias, estimulando a procura. Por outro lado, a frequência é reduzida de 29 voos semanais para 25. Sendo conservadores e ignorando possíveis trocas de equipamento pontuais, o crescimento no nº de lugares rondará os 22%.

Dentro da rede peninsular da companhia espanhola, a concessão da rota do Porto à Air Nostrum sempre foi uma excepção tendo em conta o elevado volume do mercado. A outra excepcionalidade da operação é a do AFSC ser o maior aeroporto peninsular e o maior mercado sem um night-stop da Iberia. Para se ter uma ideia, o 2º maior mercado sem este serviço seria Faro, que num ano inteiro tem tantos passageiros de/para Madrid como o Porto em 2 semanas, e o 3º seria Badajoz, que gera menos passageiros de/para Madrid num ano que o Porto numa semana. A introdução do serviço night-stop seria, portanto, o seguinte passo lógico.

À maior capacidade de transporte de passageiros, a introdução dos Airbus permite à Iberia transportar carga no porão, algo impossível nos Bombardier da Air Nostrum. Uma lacuna que tem sido preenchida com recurso a aviões cargueiros e aos chamados camiões-avião. No caso dos cargueiros, trata-se de um serviço que opera 4x por semana, com aviões Boeing 757F da DHL que fazem o percurso Londres Heathrow-Madrid-Porto-Londres Heathrow. Já no caso dos camiões, há 3 linhas existentes, uma com origem em Madrid e que alimenta diretamente a rede, e outras duas com origem em Vigo e Lisboa, que alimentam os voos da Iberia (e também da British Airways, no caso de Lisboa) existentes nesses aeroportos. Nada foi anunciado relativamente aos serviços de carga, mas é expectável o fim destes serviços terrestres em detrimento do avião.

Com este aumento, e considerando a programação atual da concorrência, a ligação Porto-Madrid deve ficar entre 650.000 e os 700.000 passageiros em 2018, o que seria suficiente para finalmente consolidar a rota como uma das principais da península e para tomar a liderança destacada das rotas entre o noroeste peninsular e a capital espanhola, tal como aconteceu recentemente com Barcelona e como pode acontecer brevemente com Valência. Casos importantes para demonstrar às companhias aéreas que rotas como Sevilha, Málaga, Alicante ou Bilbau a partir do Noroeste não devem estar mais centralizadas na Galiza, mas devem estar presentes a partir do Porto e provavelmente com uma operação reforçada.

IB_A319_EC-KKS
Airbus 319 da Iberia. Foto tirada por Carlö Dedöni
Porto - Madrid (Air Nostrum / Iberia)
De A Frequência Partida Chegada Nº voo Equipamento
- 24 Mar. 1 2 3 4 5 6 7 08:05 10:15 IB 8721 Bombardier CRK
- 24 Mar. 1 2 3 4 5 6 7 12:15 14:25 IB 8727 Bombardier CRK
- 24 Mar. 1 2 3 4 5 6 7 16:25 18:35 IB 8729 Bombardier CRK
- 23 Mar. - - 3 4 5 - - 19:55 22:05 IB 8725 Bombardier CRK
26 Mar. - 1 2 3 4 5 6 - 08:20 10:30 IB 3091 Airbus 319
25 Mar. - 1 2 3 4 5 - 7 12:35 14:45 IB 3093 Airbus 319
25 Mar. - 1 2 3 4 5 6 7 16:40 18:50 IB 3095 Airbus 319
25 Mar. - 1 2 3 4 5 - 7 20:30 22:40 IB 3097 Airbus 319
Madrid - Porto (Air Nostrum / Iberia)
De A Frequência Partida Chegada Nº voo Equipamento
- 24 Mar. 1 2 3 4 5 6 7 07:30 07:35 IB 8720 Bombardier CRK
- 24 Mar. 1 2 3 4 5 6 7 11:40 11:45 IB 8726 Bombardier CRK
- 24 Mar. 1 2 3 4 5 6 7 15:35 15:40 IB 8722 Bombardier CRK
- 23 Mar. - - 3 4 5 - - 19:20 19:25 IB 8730 Bombardier CRK
26 Mar. - 1 2 3 4 5 6 - 07:30 07:40 IB 3090 Airbus 319
25 Mar. - 1 2 3 4 5 - 7 11:45 11:55 IB 3092 Airbus 319
25 Mar. - 1 2 3 4 5 6 7 15:50 16:00 IB 3094 Airbus 319
25 Mar. - 1 2 3 4 5 - 7 19:40 19:50 IB 3096 Airbus 319

 

_________________________________________________________________

1-Segunda-feira    2-Terça-feira    3-Quarta-feira    4-Quinta-feira    5-Sexta-feira    6-Sábado    7- Domingo

As horas são locais

26 comentários em “Iberia introduz equipamento próprio na rota de Madrid a partir de Março”

  1. Allure, essas rotas de que falas seriam obviamente viáveis a partir do Porto, sem dúvida. Mas não me parecem rotas suficientemente densas para justificar aviões como os 737 da Ryanair ou os A320 que a Easyjet aqui tem baseados, etc.

    E quando vamos ver que companhias poderiam operar esses voos com aviões um pouco mais pequenos, ficamos um pouco curtos de hipóteses. A TAP, se quisesse, com Embraers ou ATR, era uma hipótese, mas se eu fosse gestor da companhia tinha um punhado rotas mais interessantes para abrir. A Vueling também só tem, praticamente, A320. Só se a Easyjet baseasse aqui um A319…

    1. Para Bilbao quem sabe, a volotea podia ser uma boa alternativa, os b717 deles tem menos lugares que um a320 ou um b737

    2. Por acaso não acho que sejam rotas pequenas de mais para ter A320/B738, no passado talvez mas hoje não creio. Valência tem 4 B738 por semana e até ficam curtos. Mesmo na Galiza, a maioria dessas rotas tem capacidade equivalente a voo diário com B738/A320, e algumas até tem 2 operadores.

    3. falando em Bilbau, abriram base Volotea e Vueling, infelizmente ainda não fomos comtemplados com essa tãod esejada rota. Falando em possiveis rotas, li que Nice vai ter mais um avião baseado da Easyjet, aqui tb vamos ter mais um avião, quem sabe em 2018, a rota Nice finalmente chega cá-

    4. A Volotea também pediu slots para o Porto por isso até podiam ser eles a fazer o voo Porto – Bilbao. Mas já apresentaram a base e nada sobre o Porto.

      E quer os B171 quer os A319 não são muito grandes pelo que deveriam ter ocupações interessantes.

      Os slots pedidos por eles seriam suficientes para uma operação “digna”?
      Sendo que Veneza também é base Volotea. Será que funcionaria agora?

    5. Não. Se for uma operação para durar o verão IATA todo dá para um voo semanal. Devem estar a pensar, imagino eu, numa operação reduzida, no verão, para algum destino de sol, tipo Ibiza.

    6. zoficial, a Vueling já tinha base em Bilbau há muito tempo, simplesmente anunciou que ia colocar um novo avião, mas não que rotas/frequências ia fazer. Como o anuncio foi logo depois do da Volotea, quase aposto que é para os cobrir, mas nunca se sabe.

      Sobre os slots pedidos pela Volotea, pelo número reduzido quase aposto que são para a operação charter de França. Em S17 fizeram um pedido inicial de 30 slots e usaram 20.

  2. Ter informação privilegiada não é dar 1000 a zero aos jornalistas, que só sabem aquilo que lhes contam. A honestidade intelectual faz muita falta neste país.

    1. O Pete normalmente não tem informação priveligeada, ele apenas usa dados públicos faz alguma análise e investigação, coisa que os jornalistas cada vez fazem menos, copy paste de artigos internacionais não é investigação, no melhor dos casos é tradução.

  3. Sim, ainda muita coisa a fazer nas ligações com Espanha. Contudo este é o seguimento lógico da operação.

    Maior conforto na operação e a possibilidade de transporte de carga é um upgrade muito interessante.

    A instalação de EMA em Portugal (no Porto mais concretamente) tem como ponto mais negativo as ligações desde o Porto aos principais HUB´s europeus. Esta situação de Madrid, Atenas, reforços sistemáticos para Paris, etc, são mais um contributo para a consolidação desta candidatura que se espera difícil, mas vitoriosa.

    (Essas 4 ligações que porventura se perdem, seriam muito úteis se fossem colocadas numa nova rota para um aeroporto espanhol onde somos deficitários!)

    1. Relativamente à candidatura à EMA, quando se compete com sítios como Amesterdão ou Milão é quase impossível não ter nas ligações aéreas um ponto fraco, mas por outro lado numa das avaliações da EMA saia Bucareste como tendo um nível aceitável de ligações aéreas e o Porto um nível fraco, apesar de Bucareste a nível internacional ter menos voos que o Porto…

      Relativamente às ligações que se perdem, são daquele voo que saia com <1h de diferença do que temos ao meio-dia e algum ao fim de semana, portanto a nível de conectividade fica na mesma.

    1. A Madrid e a Espanha em geral, mas ainda há muito por fazer. Não podemos ter tanta gente a voar para cidades como Bilbau ou Valência via Madrid e Lisboa por não haver uma oferta adequada de voos diretos.

    2. É verdade Pete, Espanha está muito mal servido. E não está pior devido à Ryanair que nos liga a Valencia, às baleares, às Canárias e claro Madrid e Barcelona!
      Valencia está muito mal servido e Bilbao nem comento… Relativamente a Bilbao, ir a Madrid é péssimo (mas escapa…), usar a ponte aérea nessa rota… acho que nem vale a pensa comentar, mais vale ir a pé ou de burro! 🙂

    3. Se além do A319 para Madrid cá deixassem o Bombardier podiam entrar nessas rotas com a Air Nostrum ou a Ibéria Express.

      Com o A319 e sendo Ibéria podemos também contar que passem a utilizar manga quer no Porto quer em Madrid correcto?

    4. Diogo, eu sei que tu tens um odiozinho especial à Ponte Aérea, mas é inegável que muitas das melhorias que temos visto no Porto se devem a ela. Mesmo para Espanha, os tempos de viagem e as tarifas que eles tem introduzido são muito competitivos e estão a fazer crescer significativamente a procura, o que por sua vez facilita a obtenção de mais voos diretos. Repara no caso de Atenas, por exemplo.

      João, não vejo nem a Air Nostrum nem a Iberia Express a fazer essas rotas, dentro do Grupo IAG seriam área de acção da Vueling em todo o caso. Relativamente às mangas, sim, em principio deve ser manga a maior parte das vezes.

    5. Ahahahah por acaso não tenho nada contra. Desde estes moldes da ponte aérea, nunca fiz Porto – Lisboa na TAP e espero nunca usar o serviço como Ponte Aérea, principalmente no sentido Porto-Lisboa :). Contudo espero que seja um sucesso e que traga gente ao Porto. O meu contributo para o AFSC é que parto 95% das vezes que viajo deste aeroporto e tento sempre voos diretos. Esse é o meu contributo para o AFSC :).
      Mas quanto a Bilbao, com os atrasos da TAP, ter que ir para o Sul, fazer escala e embarcar em Lisboa para Bilbao, com transfers de aeroportos, e preços normais da TAP etc etc mais vale alugar um carro. Então se for mais do que uma pessoa, aí nem se põe avião de certeza….. Acho que é lógico.

    6. De carro ainda se demora umas 6-7h e alguém tem que ir a conduzir, pela Ponte Aérea consegues chegar em menos de 4h, o que não é muito diferente das 3h/3h30 da Iberia. E os preços é como te digo, baixaram bastante e assim também pressionaram os da Iberia para baixo, imagino que muita gente que fazia de carro passou para o avião.

    7. E sem esquecer que a Ponte Aérea da TAP é das piores coisas que aconteceram. Vivo no sul de Espanha, próximo de Gibraltar, e este Verão caí na asneira de fazer Porto-Lisboa-Málaga com a TAP. Resultado: atrasos de mais de 1 hora nos 2 voos e bagagem perdida. Infelizmente compensam as 7 horas de estrada. O ideal era a Ryanair abrir uma rota direta de Málaga, Sevilha ou mesmo Jerez, já nos ajudava bastante!

    8. é estranho Sevilha e Bilbao não estarem incluidas ainda. E Málaga resultaria muito bem no verão

    1. Concordo plenamente consigo. E partilho das mesmas palavras mas direcionadas a si que sempre partilha em primeira mão informações sobre novos voos e novas rotas skiespassion !

Os comentários estão fechados.