Michael O’Leary apresenta programação de Inverno da Ryanair com novas rotas e reforços de rotas existentes

FR_Bar

No passado mês de Fevereiro, em conferência de imprensa sobre a programação de Inverno da Ryanair para Portugal, Michael O’Leary anunciou que a operação no Porto será novamente reforçada com vista a atingir um movimento de 4.4 milhões de passageiros no AFSC em 2018. Para além da já anunciada ligação direta a Sevilha, o CEO confirmou ainda Cagliari, em Itália, e o regresso de Marraquexe, em Marrocos (operada pela última vez em 2012). Tanto Cagliari como Marraquexe contarão com 2 frequências semanais, que se encontram agora disponíveis para venda no site da Ryanair.

A nível de rotas existentes, foi mencionado que Bolonha, Düsseldorf – Weeze e Lile voltam a operar durante todo o ano, aplicando-se o mesmo às ligações a Malta e Manchester, ainda por estrear. Também foi referido que a ligação ao Luxemburgo passará a efetuar-se diariamente. Nenhum ajuste negativo foi anunciado, algo habitual neste tipo de eventos, embora se saiba que os voos para Frankfurt – Hahn serão descontinuados.

FR_B738_EI-DPV
Dois Boeing 737-800 da Ryanair em Charleroi. Foto tirada por Radu Dobrescu

Os voos para Cagliari terão inicio a 29 de Outubro e serão efetuados às 2ªf e 6ªf. Cagliari é o principal aeroporto da ilha italiana da Sardenha, um destino até agora inexistente em voo regular a partir de Portugal. Será o 6º destino italiano da Ryanair a partir do Porto, juntando-se a Bolonha, Milão – Bergamo, Milão – Malpensa, Nápoles e Roma – Ciampino.

Porto – Cagliari
De A Frequência Partida Chegada Nº voo Equipamento
29 Out. – – 1 – – – 5 – – 06:00 09:30 FR 5860 Boeing 738
Cagliari – Porto
De A Frequência Partida Chegada Nº voo Equipamento
29 Out. – –– – 1 – – – 5 – – 09:55 11:25 FR 5861 Boeing 738
Por sua vez, Marrakexe tem inicio a 28 de Outubro e os voos estão programados às 5ªf e Domingos. Será a segunda vez que a Ryanair opera esta rota a partir do Porto, a primeira foi entre Novembro de 2010 e Março de 2012, também com 2 frequências semanais mas com resultados operacionais muito pobres (ver: Ryanair cancela Marrakexe). O mercado cresceu desde então e as circunstancias também são outras, pelo que faz sentido olhar outra vez para esta rota. Casablanca, atualmente a única ligação entre o AFSC e Marrocos (operada pela Royal Air Maroc), também foi operada no inicio da década com resultados fracos mas regressou recentemente com números muito positivos.
Porto – Marrakexe
De A Frequência Partida Chegada Nº voo Equipamento
28 Out. – – – – – – – – 7 06:25 08:25 FR 6052 Boeing 738
01 Nov. – – – – – 4 – – – 17:00 19:00 FR 6052 Boeing 738
Marrakexe – Porto
De A Frequência Partida Chegada Nº voo Equipamento
28 Out. – –– – – – – – – – 7 08:50 10:50 FR 6053 Boeing 738
01 Nov. – –– – – – – 4 – – – 19:25 21:25 FR 6053 Boeing 738

_________________________________________________________________

1-Segunda-feira    2-Terça-feira    3-Quarta-feira    4-Quinta-feira    5-Sexta-feira    6-Sábado    7- Domingo

As horas são locais

5 comentários em “Michael O’Leary apresenta programação de Inverno da Ryanair com novas rotas e reforços de rotas existentes”

  1. Tal como Sevilha, Cagliari também sofre alterações.

    O voo de segundas passa a ser operado com avião base Cagliari e novos horários de tarde e o voo de sexta antecipa para quintas!

    FR5861 73H 14:10 CAG OPO 15:40 1______
    FR5860 73H 16:05 OPO CAG 19:35 1______

    FR5860 73H 06:50 OPO CAG 06:50 ___4___
    FR5861 73H 10:45 CAG OPO 12:15 ___4___

    Com estas alterações de Sevilha e Cagiari ficamos com 4 pares livres de um avião da base do Porto.
    Só ainda não percebi se manteremos os 8 baseados ou se ainda teremos mais novidades.

    1. Também se pode dar o caso de fazerem mais ajustes noutras rotas, ou de simplesmente deixar os aviões parados como em Invernos passados.

    2. idem com Marrakesh, em relação a 5ªfeira não tenho certeza se o horário mantém-se, mas ao Domingo em vez de matinal, agora o regresso faz-se ao inicio da noite, horários excelentes para um city break.

    3. O que acho é que não devem ter/querer basear mais aviões (a greve não deve ser indiferente a tudo isto) e libertam disponibilidades nos aviões já baseados para reforço de de frequências outras operações já existentes.
      Atenção isto é apenas o que me leva a fazer querer este tipo de alterações.

Os comentários estão fechados.