Inverno IATA 2022 (W22)

DestinoAeroportoOperadorW19W21W22W22/W19%
AgadirAGARyanair515+10
AmesterdãoAMSTodos115125125+15+10%
KLM307575+45+150%
TAP40-40-100%
Transavia455050+5+10%
BarcelonaBCNTodos235225310+75+30%
Ryanair125130135-40+10%
Vueling11095175+65+60%
BariBRIRyanair1515+15
BasileiaBSLeasyJet9090110+20+20
BergeracEGCRyanair15+15
BerlimBERTodos303525-5-15%
BERRyanair2025+25
SXFRyanair30-30-100%
BilbauBIOTodos252030
Volotea1055-5-50%
Vueling151520+5+35%
BillundBLLRyanair15+15
BordéusBODTodos605575+15+25%
easyJet303545+15+50%
Ryanair302030
BremenBRERyanair15-15-100%
BrestBESTodos151015
Ryanair1510-15-100%
Transavia15+15
BruxelasBRUTodos170125125-45-25%
BRUBrussels Airlines304050+20+65%
BRURyanair553020-35+35%
BRUTAP30-30-100%
CRLRyanair555555
BudapesteBUDTodos303545+15+50%
Ryanair151525+10+65%
Wizzair152020+5+35%
CagliariCAGRyanair1515-15-100%
CarcassonneCCFRyanair15-15-100%
CasablancaCMNRoyal Air Maroc355-30-85%
Colónia / BonaCGNRyanair502015-35-70%
CopenhagaCPHRyanair1515+15
DubaiDXBEmirates50-50-100%
DublinDUBRyanair201530+10+50%
EdimburgoEDIRyanair1515+15
EindhovenEINRyanair354040+5+15%
EstrasburgoSXBRyanair15+15
EstugardaSTReasyJet20-20-100%
FrankfurtFRATodos195150185-10-5%
FRALufthansa140120170+30+20%
FRARyanair55-55-100%
HHNRyanair3015+15
FunchalFNCTodos190190330+140+75%
easyJet3580110+75+215%
Ryanair55+55
TAP8550100+15+20%
Transavia706065-5-10%
GenebraGVATodos280230295+15+5%
easyJet180195230+50+30%
Swiss302535+5+15%
TAP701030-40-40%
HamburgoHAMRyanair101515+5+50%
Las PalmasLPARyanair10+10
LilleLILRyanair1515+15
LisboaLISTAP460275485+25+5%
LiverpoolLPLRyanair15-15-100%
LondresLONTodos370330385+15+5%
LGWBritish Airways45-45-100%
LGWeasyJet454055+10+20%
LGWTAP807565-15-20%
LHRBritish Airways3530+30
LTNeasyJet252030+5+20%
LTNWizzair201540+20+100%
STNRyanair155145165+10+5%
LuandaLADTAAG455-45-100%
LuxemburgoLUXTodos160185240+80+50%
easyJet306065+35+115%
Luxair405560+20+50%
Ryanair607095+35+60%
TAP3020-10-35%
LyonLYSTodos95105115+20+20%
easyJet7590100+25+35%
Transavia201515-5-25%
MaastrichtMSTRyanair15+15
MadridMADTodos470280450-20-5%
Air Europa13060130
easyJet25+25
Iberia170130185+15+10%
Ryanair11590110-5-5%
TAP55-55-100%
MálagaAGPRyanair252015+10-40%
MarraquexeRAKRyanair20525+5+25%
MarselhaMRSRyanair607070+10+15%
MemmingenFMMRyanair251515-10-40%
MilãoMILTodos150135165+15+10%
BGYRyanair707080+10+15%
MXPeasyJet2560+60
MXPRyanair304025-5-15%
MXPTAP50-50-100%
MontpellierMPLeasyJet10-10-100%
MuniqueMUCTodos905085-5-5%
Lufthansa605085+25+40%
TAP30-30-100%
NantesNTETodos505570+20+40%
easyJet253045+20+80%
Transavia252525
Nova IorqueEWRTAP351525-10-30%
NurembergaNUERyanair15-15-100%
ParisPARTodos600585795+195+35%
BVARyanair140145165+25+20%
CDGAir France252530+5+20%
CDGeasyJet507075+25+50%
CDGVueling20-20-100%
ORYTAP125100150+25+20%
ORYTransavia170190300+130+75%
ORYVueling554065+10+20%
XCRRyanair151510-5-65%
Ponta DelgadaPDLTodos13595115-20-15%
Azores Airlines505560+10+20%
Ryanair504040-10-20%
TAP3515-20-60%
PragaPRGeasyJet5+5
RennesRNSeasyJet1520+20
Rio de JaneiroGIGTAP201525+5+25%
RomaROMTodos202560+30+200%
CIARyanair2040+20+100%
FCORyanair25
FCOWizzair20+20
São PauloSAOTodos651530-35-55%
GRUTAP301530
VCPAzul35-35-100%
TenerifeTFSRyanair51515+10+200%
TerceiraTERTodos253030+5+20%
Azores Airlines101515+5+50%
Ryanair151515
ToulouseTLSTodos555565+10+20%
easyJet303035+5+15%
Ryanair252530+5+20%
ValênciaTFSRyanair252530+5+20%
VarsóviaWMIRyanair1515+15
VienaVIETodos352515-20-60%
Ryanair252015-10-40%
Wizzair105-10-100%
WroclawWRORyanair15+15
ZuriqueZRHTodos130105135+5+5%
easyJet254055-10+120%
Swiss406060+20+50%
TAP65520-45-70%
Total:
(W22-W19)
+540+8%

_________________________________________________________________

Dados 03 Outubro 2022                     Comparação relativamente a W19 e W21

A tabela apenas reflete as alterações às operações das companhias. Mudanças de capacidade com pouca expressão podem não ser consideradas.

Os valores referem-se ao nº de lugares disponibilizados (x1.000), arredondados a múltiplos de 5.000. As percentagens são arredondadas a múltiplos de 5%, excepto para o total do aeroporto.

107 opiniões sobre “Inverno IATA 2022 (W22)”

  1. A easyjet tem 3 diários ao domingo para o Funchal em W22, não me lembro de ter visto uma operação OPO-FNC com eles tão reforçada (talvez para combate à FR). Quando eles entraram em PDL (evidentemente com outras condições) a EasyJet acabou por sair, agora parece-me tudo diferente porque o mercado está a responder muito bem a estas entradas.
    Por sua vez a TO regrediu na ligação OPO-FNC pelo que prevejo o 2º diário da FR para breve.
    As ligações às ilhas serão sempre um caso de estudo continuando eu a achar que o 3º diário da TAP que esteve em tempo previsto em A321XR iria trazer um grande benefício às ligações via Porto trazendo atrativos, naturais, à aposta de outras companhias para o nosso AFSC.

    1. Diminuição da TO no OPO/FNC talvez por ter mais ligações directas ORY/FNC. Muitas ligações ao Funchal por TO pelo Porto eram procedentes ou com destino Paris.
      É mesma coisa com as outras rotas da TO? Também à reduzir. No final do mês começa o inverno IATA.

    2. Já estava previsto ser assim antes da chegada da Ryanair. O Funchal é um destino que funciona muito bem, em boa parte à custa dos residentes e do subsídio de mobilidade. A easyJet é uma empresa que gosta de ter frequências, portanto é uma evolução natural. Os Açores tem condições diferentes e acabaram por não ter o mesmo sucesso.

      A Transavia reduziu porque está a conseguir fazer mais voos diretos de França para o Funchal. Os OPO-FNC são sempre continuação de voos de ORY, LYS ou NTE, não existem de forma independente. Se a Transavia tivesse conseguido abrir a base há uns anos, provavelmente a história seria outra, mas nos moldes atuais o normal será essa tendência continuar.

      O 3º diário da TAP previsto pelos privados seria excelente, mas os privados tinham uma visão do negócio diferente (fazer dinheiro) dos gestores públicos (aguentar a operação em Lisboa). Curiosamente agora a Azores faz FNC-PDL-JFK, mas com frequência mínima e com um produto inferior.

    3. Explicações muito claras.
      Interessantes esses vôos indiretos Madeira/Açores/Estados Unidos.

      Sobre a TO : Caso TP seja comprada pela AF/KLM vão ver que a base da TO no Porto será ponderada novamente.
      É uma mais valia para esse grupo aéreo. Estão presentes em todo tipon de segmento.
      Historicamente o Porto é importante para TO. Vôo inaugural ORY/OPO, já lá vamos em 2007…
      Para França devem ser os que têm mais rotações.
      FR não deve estar longe mas é para aeroportos segundarios… pois ainda ali monopólios que não querem oferecer de bandeja à FR.

      E muito bem dito a TP privada era para ganhar dinheiro. E que volte à ser a mesma coisa após privatização.
      E não vai haver para trás. Já não pode.
      Provavelmente uma TP mais magra. Mais eficiente. E oxalá.
      E vão ver que se TP minga já não vai haver pressa para um novo aeroporto lá em baixo… Planeado para as calendas…

      Para terminar com uma ponta de humor…
      Ou será a LH quem vai tomar conta da TAP e daí os BMW… lol.
      Parece que lá para baixo dão se bem com treinadores alemães… lol.

    4. O problema da base da Transavia nunca foi operacional, foi a oposição dos sindicatos franceses. Escala, mesmo só com a operação actual, já teria para ser a 3ª maior base deles depois de Orly, Amesterdão e Eindhoven.

      Privatização da TAP esperemos que sim, mas com este governo não acredito muito.

  2. Ontem o último vôo do dia LIS/OPO TP1928 regressou à base em LIS depois de dar umas voltas sobre o Grande Porto.
    Pergunta : Haviam limitações ontem à noite. Maú tempo? Nevoeiro?

    1. Devia estar fora de jogo.
      E teve de regressar ao balneario… lol.
      Ou já não havia ninguém da Groundforce…

  3. Como previsível, a Ryanair aumenta as frequências para Roma!
    Novembro e Dezembro conta agora com 5 frequências semanais programadas e á venda , Janeiro a Março com 4 semanais (de momento este 4 semanal só está pré programado na aplicação)!
    Não me admirava ver a easyjet entrar na rota em S23!

    1. SIm breatheatrip, também chegou algo ao meu ouvido.
      No entanto temos de deixar que os intervenientes divulguem ou coloquem à venda…

    2. skiespassion & breatheatrip

      Agora ficamos curiosos…
      Boatos da reentrada da FR em NAP ou outro operador ?

    3. Previsivel, já carregaram o que faltava para o resto da temporada. Esperemos que para o Verão apresentem finalmente uma operação ajustada para Roma.

    1. Obrigado skiespassion, está corrigido! No caso de Verona parece que só vão deixar domésticos + STN e DUB. Os voos até andam nos 90%, mas as tarifas, mesmo agora em Outubro, já estão muito fracas.

  4. RAM – Royal Air Maroc regressa ao Porto a 09 Dezembro 2022 com 2 voos semanais (segundas e sextas) com Embraer 190.
    Voos carregados e á venda!

    AT996 CMN1615 – 1655OPO 190 15
    AT997 OPO1755 – 2030CMN 190 15

    1. Top. Marrocos com 4 destinos no Inverno: Marraquexe, Agadir, Fez e Casablanca. Nunca pensei!

    2. É bom ver este regresso. Seria maravilhoso regressarem às restantes, se não possível em Dezembro, no próximo Verão IATA: Azul para Campinas, Emirates para o Dubai, Air Canada para Toronto e TAAG para Luanda. É possível alguma destas?

    3. Salvo melhor opinião a menos importante será a Agir Canadá.
      Para o Canadá será mais importante o reforço da Air Transar ( Toronto e Montreal).
      Sim a Emirates fará falta mas o Pedro terá melhor opinião.

    4. O tipo de aparelho será adequado para o tráfego e custos associados.
      Claro que tb será muito interessante o regresso da TAAG.
      Não sei como está a correr a operação em Madrid.
      Comparando com Madrid julgo que o Porto teria mais potencial mas mais uma vez o Pedro tem dados de que não disponho

    5. Outra boa noticia, regresso algo tímido embora o E190 me pareça mais adequado que os B738 que eles usavam antes. Vai é precisar de mais frequências, no passado foi quando conseguiu melhor desempenho.

      Diogo, Fez não está programado no Inverno, e veremos se volta em S23.

      Sobre os outros regressos de voos para fora da Europa, veremos:
      – Air Canada: é das que têm maior potencial, com NBs dá para 2 diários fácilmente. A Air Transat é bom que se mantenha, mas será sempre complementar ao que a AC pode oferecer. Vai depender do que a JV com a LH-UA precisar.
      – Azul: já estive mais pessimista. O Brasil está a recuperar muito bem, tanto a nível de tarifas como de passageiros. Os dados de Julho saíram à pouco tempo e tanto Rio como SP tiveram 96% de ocupação, mesmo com a TAP a aumentar capacidade com os A339. A minha dúvida é se estrategicamente ainda faz sentido para eles recuperar o Porto em vez de lançar outro destino europeu ou nos EUA.
      – Emirates: continuo a achar que ainda não é a altura, talvez 2024-25.
      – TAAG: Angola está a preparar a venda da TAAG à IAG e tem como objetivo desenvolver mais as relações com Espanha em geral, daí terem contratado um espanhol para a comissão executiva e começado os voos para Madrid. Nesse contexto o Porto passa para segundo plano, e vão tentar canalizar o passageiro com a Iberia, porque só Madrid não funciona particularmente bem. Mesmo com a Iberia a fazer feed, os números deles em Madrid são mais fracos do que tinham no Porto (menos de metade da carga e dos passageiros com 2/3 dos voos). A partir de Lisboa os voos para Luanda também estão mais fracos, aliás as 2 frequências de Madrid saem do horário de Lisboa, portanto não sei como seria no Porto, mas acho que vai ficar no congelador durante um tempo.

      Dito isto, as coisas vão mudando e mais do que recuperar A ou B, o importante é que haja oferta e se consiga desenvolver o aeroporto.

  5. Nova rota da Wizzair: FCO.

    1. Finalmente Roma Fiumicino, a Ryanair sempre prestou serviços mínimos para Roma pois quase nunca teve concorrência na rota. Ajudará a que 2023 seja o melhor ano do AFSC em n.º pax, caso não voltem Covids e companhias.

    2. Excelente noticia o 2º operador para Roma, são 3 voos por semana em A21N, que dá uma capacidade equivalente a 4 semanais com outros aviões. Para a Wizz em particular é uma boa rota para terem bons resultados, e evitar a sequência de experiências falhadas que tem tido no AFSC.

      PMF, Luton está melhor que no Inverno de 2019 sim, veremos como vai ser a execução.

    3. Só teremos de lamentar que com mais quatro operações apenas represente mais um dia com ligação direta a Roma.
      Bem refere o Pedro que está nova operação corresponde a quatro operações mas apenas fixos com mais um dia com ligação direta
      Mesmo assim é fortemente positivo

    4. Infelizmente, quase sempre que entra um 2º operador sem que o 1º operador tenha voo os dias de operação acabam por ser os mesmos e às vezes até os horários são idênticos. O ideal seria a Ryanair ter reforçado com voo diário, e se a coisa corresse bem, então aí entrar um 2º operador. Mas tal como aconteceu com DUB, BOD ou BER, sem concorrência, a rota nunca mais ia sair do sítio.

  6. Afinal já vão acelerar o passo na privatização da TAP.
    LH ou AF interessados na compra. Talvez IAG mas aí cuidado com o Hub de Madrid (até ajudava na resolução da questão do aeroporto de Lisboa…).
    No final deixa de ir dinheiro dos contribuintes para manter a companhia.
    AF não sei. Tem a Transavia que ocupa a parte low cost do grupo e está bem representada cá em Portugal.
    Podia ser i teressante.
    A CEO da TAP sendo francesa poderá orientar. Não sei…
    A TAP deixava passava para a Sky Team.

    LH é um grupo grande também.

    Mas desconfio que a companhia tenha de migar mais um pedaço…

    Veremos. Mas para despachar a privatização é sinal que o país não vai poder dar mais para a companhia. Com a crise atual o estado vai precisar de dinheiro.

    Veremos e espero que o pessoal da companhia não saia prejudicado.(se fôr AF os pilotos até ficavam contentes com as boas regalias….).

    1. Parece-me que o problema é que eles já se estão a desviar dos resultados esperados no plano de recuperação, e não conseguindo cumprir essas metas a torneira fecha e a empresa vai à falência. A única salvação nesse caso é um privado injetar dinheiro, mas tenho muitas dúvidas que haja assim tanto interesse… veremos.

      Para nós o pior cenário será sempre que se mantenha pública.

    1. Pressinto um Inverno muito muito muito fraco. Se ainda há alguém a sonhar com os 13M pax como em 2019, esqueça …. e por muito!

    2. A easyJet vai cortar muito em Berlim este ano, menos 7 ou 8 aviões se não me engano. Berlim até fica +/- igual a W19, mas Porto-Alemanha aliás vai ser o pior dos nossos 10 maiores mercados.

      A Ryanair, à custa do fecho da base de Bruxelas, tirou 2 semanais no OPO-BRU, mantém-se apenas os voos com base Porto. Também esta semana saíram notícias que a Holanda está a pensar aumentar o imposto sobre as partidas em 22 EUR. A confirmar-se, dúvido que Maasstricht consiga aguentar muito tempo e mesmo Eindhoven provavelmente terá menos frequências. Para Amesterdão, entre o aumento e a subida de quase 40% nas taxas aeroportuárias, a probabilidade da easyJet abrir a rota praticamente desapareceu.

      Por outro lado parece que lá se entenderam em Bolonha com a Ryanair, e os OPO-BLQ voltam à estar à venda.

    1. Sim, nesta altura será quase tudo ajustes em baixa. Notícias de aumentos provavelmente vamos começar a ver para S23.

    1. Parece que há braço de ferro entre a Ryanair e o aeroporto de Bolonha, agora no Inverno vai levar uma tesourada de 30%. Esperemos que consigam resolver e os voos voltem em S23.

    1. Em charters estamos abaixo de 2019 graças à transferência de voos charter para regulares, seja diretamente (Ibiza e Tenerife) ou indiretamente (Palma e Agadir).

      Pessoalmente considero isso positivo. O Porto, comparativamente a outros aeroportos peninsulares, ainda tem um volume de charters emissores muito alto. Há espaço para vários destinos passarem a regulares (Menorca, Sal, Boavista, Oujda, Djerba, Monastir) ou para receberem novos operadores que absorvam o volume charter (Palma, Gran Canaria, Porto Santo).

  7. O NST da LH para Munique continua também no Inverno, 4x por semana, substituindo o 2º voo que havia ao final da tarde. No total foram programados +20.000 lugares comparado ao que estava, muito significativo, principalmente numa altura em que a LH tem estado a ajustar a programação europeia em baixa.

    1. São poucos voos mas é um bom sinal, olhando para os números de Maio e Junho e para o preço dos voos Praga está com um bom desempenho. 2 semanais apesar de tudo foi uma aposta conservadora.

    1. Bilbao não é rota para ter dois operadores no Inverno, idealmente ficaria só um. Por outro lado precisamos de casos de sucesso tanto com a Volotea como com a Vueling se queremos que crescam.

  8. A Transavia decidiu continuar Brest em W22, os voos já estão carregados. São poucos voos, mas seria um bom exemplo para outras rotas “regionais” francesas.

    1. Seria uma pena a EW nao dar continuidade da HAM e STR…
      As ocupacoes tem sido algo interessantes de acompanhar

    2. HAM pelos resultados de Junho estava um bocado fraco, não sei se entretanto melhorou, mas diria que 2 operadores no inverno provavelmente seria excessivo.

      STR muito bem logo de início e parece-me que se mantém. Olhando para os preços e para alguns voos esgotados este mês, nota-se a diferença para HAM. No fundo foi uma “prenda” da easyJet por motivos estratégicos, a nível de performance tinha muito bom aspecto e se pecava em alguma coisa era em ter poucos voos. Podia passar a anual perfeitamente.

      O problema da Eurowings é que continua a ter custos operacionais elevados, e depois tem que ser conservadores em temporada baixa. Mesmo DUS tem uma operação muito limitada no Inverno.

    1. Excelente. Acho que seriam operações interessantes para duplicar voos com A321LR em vez de estar a fazer escalas, mas parecem manter o formato tradicional.

    2. Para os operadores excelente, ficam com maior margem ao eliminar o custo das escalas e com mais volume ao serem 2 voos. Pena não vermos este tipo de operações com A321LR, acho que possibilitaram mais voos, maiores períodos e ajudaria a preparar uma operação regular com narrow body.

  9. Uma curiosidade da TAP, que colocou em promoção voos de Lisboa para Barcelona, Bilbau, Fuerteventura, Gran Canaria, Marselha, Marraquexe, Tenerife, Toulouse, Valencia e Zurique, curiosamente, todas as rotas que a easyJet lhes vai pisar daqui a uns meses.

    A não ser que me falhe a memória, nunca vimos um movimento deste género no Porto. Aliás, Zurique até tem mais concorrência no AFSC que na Portela, no entanto, não há promoção, em vez disso há menos voos e preços mais altos. Para uma empresa falida os cortes são a estratégia inteligente, mas como de costume, parece que no hub não há problema. Descontar voos em ligação e ponto-a-ponto é receita para o desastre, e se já não dava lucro antes, dificilmente vai dar a este ritmo. E sem lucro só resta o dinheiro dos contribuintes, outra vez.

    1. Será possível afirmar que se o aeroporto de Lisboa não estivesse a rebentar pelas costurar já não havia TAP?

    2. O que vai mantendo a TAP é o dinheiro dos contribuintes. Se o aeroporto de Lisboa não estivesse cheio seria muito pior claro, mais dinheiro e maior frequência de transferências.

    3. Assim é.
      Lamentável mas dada a coerência não desilude nem é motivo de espanto.

  10. Tabela completa com todas as atualizações à data. Nota para o grande aumento de Paris, nomeadamente da Transavia, em linha com o que já vimos para S22.

    Por companhias não está na tabela, mas as 6 principais estão +/- assim (por ordem decrescente de lugares):
    Ryanair: +5%
    easyJet: +50%
    TAP: -20%
    AF-KLM: +40%
    IAG: +15%
    LH Group: +25%

    1. Pedro, reparaste que a easyJet teve à venda 3 voos semanais para CGN para W22/23 e depois além de os ter retirado ainda eliminou os 2 semanais para o mês de Outubro!!!
      Mesmo a RYR tem somente 2 voos semanais para CGN no inverno.
      Ainda falando da easyJet, MAN deixa de ser sazonal (tem carregado 2 voos semanais) ou operou em W19/20?!
      A easyJet pode ainda crescer muito no Porto!

      Wizzair esta semana acrescentou o 4º voo semanal para LTN e retirou do sistema MXP para W22/23 mas creio que já tenhas isso contemplado na tabela!

      A Ryanair tem carregado 4xw para DUB, em W19/20 teve previsto 2 ou 3xw?!

      8% de aumento previsto (W22versusW19) já é muito bom!

    2. Reparei em CGN sim, eles estão a reduzir a operação lá, à semelhança do que fizeram com STR. Repara que de CGN só estão com 1 semanal para BER, nem LGW aguenta. A Ryanair desde o inicio que só tinha carregado 2 semanais para CGN este inverno, em W19 esteve uns furos abaixo do que devia portanto é normal que ajuste. Mas sem easyJet no calculo, pode ser que em W23 consigam recuperar alguma coisa.

      MAN teve voos da easyJet em W19 também, 2xw como agora. W20 e W21 é que foi só Ryanair.

      Da Wizzair já tinha ajustado sim. Para Milão acaba já em Outubro, ainda durou bastante comparando com os outros destinos que tinham a oeste. Agora a operação deles em Malpensa está praticamente toda voltada para leste que é onde eles são fortes, o Porto era uma excepção mas com a entrada da easyJet deixou de fazer sentido.

      DUB teve 2 semanais em W19, mas com reforços em Dezembro e Janeiro. Apesar do aumento agora no Verão continua muito forte, desde Fevereiro sempre 92-96% de ocupação e com tarifas bastante acima da média. Faz falta a Aer Lingus para estimular a rota a sério. Eles este ano estão a fraquejar em Santiago com a concorrência da Ryanair, pode ser que transfiram a operação em S23.

    3. Considerando o 2º trimestre deste ano, que é quando temos resultados, a ocupação deles em Santiago ficou 4 pontos abaixo da média da empresa, isto apesar de ter -20% de capacidade face a 2019. Ou seja, deixaram de estar em monopolio, cortaram capacidade e mesmo assim o desempenho está abaixo da rede. Carga aérea praticamente zero e ligações idem. A própria Ryanair teve resultados discretos, só 74% de ocupação. Conhecendo o modelo tarifário da Ryanair, 74% é um indicador de que estão a meter muito mais capacidade do que o mercado consegue absorver, com um efeito na rentabilidade global óbvio. Acresce que a Aer Lingus não costuma ficar a concorrer com a Ryanair em rotas tão pequenas.

      Tudo junto, sim, diria que está a fraquejar. A minha dúvida é se terão confiança para transferir para o Porto, principalmente depois do arranque em falso em 2017. Mas se tiverem, acho que podemos ver resultados parecidos aos que a Turkish teve quando transferiu os voos de Santiago para o Porto.

    1. No Porto também tem previsto um pequeno reforço, só não temos novas frequências nem o NST. Continuo a achar que é uma questão de tempo, principalmente com a chegada da alta velocidade Madrid-Galiza em 2023.

      Em Lisboa este ano provavelmente vamos muitos reforços de operadores estrangeiros porque a TAP já não vai conseguir aguentar os slots à custa das regras extraordinárias.

  11. https://www.publico.pt/2022/07/27/economia/noticia/easyjet-lanca-13-novas-rotas-partir-lisboa-apos-ganhar-slots-tap-2015204

    Apenas por curiosidade, ficam aqui as novas rotas que a Easyjet vai abrir desde Lisboa, no processo dos slots transferidos da TAP para a Easy. E não são ainda todas as novidades. E os aviões que pretendem basear (3) são todos A321. É um grande aumento.
    Este aumento low-cost em Lisboa, poderá ter alguma influência no movimento do AFSC?

    1. Acho interessante porque geralmente a programação da easyJet no Porto e em Lisboa costuma seguir a mesma linha.

      Mas influência directa acho que não muita. O substituir voos da TAP por voos easyJet implica um aumento de turistas, que muitas vezes acabam por entrar por Lisboa e sair pelo Porto ou vice-versa, mas a estas escalas não será muito visível.

    2. A easyJet tem estado bastante agressiva no Porto, não há razão de queixa nenhuma. Ainda há dois meses lançaram dois novos destinos.

  12. Com os poucos voos carregados para W22 acho que vamos voltar ao antigamente com o aeroporto extremamente vazio no inverno . Sera que vamos ter alguma novidade que esteja ainda guardada ?

    1. É uma questão de percepção, por não haver grandes novidades parece que está parado, mas o que mexe o aeroporto são os destinos já existentes, e aí não faltam novidades. Pela programação W22 será o melhor inverno de sempre do aeroporto, com meses próximos ou acima do milhão de passageiros. Não é exactamente o que eu classificaria de extremamente vazio.

    2. Realmente pode ter sido só percecao. Eu lembro-me de quando estávamos a espera dos anúncios ryanair e ai se gerava logo um reboliço neste blog sobre a catrafada de novos destinos. As coisas agora estao diferentes, há mais incrementos que novidades dai eu ter achado que as coisas estavam mais paraditas. Embora nao creio que seja a altura certa para a Azul e para a Delta (considerando o NW como sendo a Delta) acho que só em setembro podemos ter mais certeza do que duvidas.

    3. Para por em perspectiva, se a Ryanair anunciasse amanhnã 10 novos destinos com 2-3 frequências semanais, tudo o resto igual, daria 2 a 3% de aumento por mês em temporada baixa. 10 novos destinos é muito, mas 2-3% de aumento não é tão significativo.

      Não sei se esses slots que aparecem como NW são da Delta, mas entrarem num destino transatlântico em temporada baixa e só com 2 frequências semanais seria inédito. Acredito que acabaremos por ter as 3 grandes dos EUA aqui, mas em temporada alta e com NB de nova geração. Se se conseguir levar o comboio ao aeroporto, mais probabilidade de isto acontecer.

    4. Pedro, já agora também o regresso da EMIRATES que até estava a ter sucesso, antes da pandemia !.

    5. Não diria que os resultados da Emirates foram um sucesso. Em carga funcionava muito bem, mas em passageiros não estava espectacular.

      Ricardo, o que o country manager disse é que gostariam de recuperar os voos em 2023, mas que a perspectiva por agora é 2024.

    6. Boa tarde,

      O que podemos esperar da Ryanair a médio prazo no Porto?
      A Ryanair vai ter um aumento considerável da frota nos próximos anos e já reforçou a ideia de que quer continuar a apostar no AFSC. Expansão com novos destinos ou consolidar destinos existentes? Olhando para a rede da empresa o potencial de crescimento é imenso, mas tudo depende do sucesso das rotas já existentes. Falo, por exemplo, de reforço de rotas Espanholas, expansão para o norte da Europa (Estocolmo, reforço de Copenhaga), Sicília, Grécia, República Checa, entre outros. Claro que, estas últimas, sendo rotas mais longas, a viabilidade é mais complicada de assegurar.

      Cumprimentos

    7. Há certamente possibilidades de crescer, tanto em destinos como em frequências, mas vai depender muito do que é a estratégia e o sucesso deles nos mercados emissores.

      Eles falaram há pouco tempo de construir um hangar e um centro de formação, que seria outra forma de aumentarem presença.

    1. Não vejo a RAM com condições operacionais para regressar ja. Talvez em S23 e mesmo assim, vamos ver …
      Quanto à Eurowings creio que mais tarde ou mais cedo avancem com Colónia uma vez que a restante operação está a correr muito bem.
      Dado o sucesso que a Flyr tem tido prevejo que se precipite a entrada da Norwegian para Oslo ou mesmo Estocolmo.
      Deixo uma questão. Que sentido faria a presença da Austrian ou da AerLingus no Porto?

    2. Para a RAM seria importante retomarem os voos para o Brasil, sem isso fica dificil. Os resultados da Ryanair para Agadir fora do Verão, e principalmente Fez, não ajudam.

      Também não me parece que a Eurowings se meta a concorrer com a easyJet e a Ryanair em Colónia. A crescer naquela zona pode sempre melhorar a operação para Dusseldorf, que é muito básica ainda.

      A Austrian não vejo como poderia ter uma operação rentável no Porto sinceramente, repara que nem voam para Lisboa nem Madrid. Se a LH precisar de capacidade de hub adicional, Munique e Zurique fazem mais sentido. A Aer Lingus é diferente, acho que tem um potencial muito interessante e acabará por vir para o Porto.

  13. W22

    Azoresairlines

    PDL: 10xw
    A intenção será de avançar com NTS com PDL-OPO no domingo e OPO-PDL na segunda.
    TER: 2xw

  14. Saiu a 1ª lista de slots para o inverno. Em relação ao último inverno, temos as seguintes companhias novas a solicitar os ditos slots:

    Azul – três voos semanais
    Royal Air Maroc – voo diário
    Companhia com código IATA NW – dois voos semanais. Não faço ideia que companhia seja esta. Era a Northwest que entretanto foi integrada na Delta, creio eu.

    Outras novidades interessantes: A wizz pediu slots para 3 voos diários, a LH para quase 6 diários, a Turkish para 9 ou 10 semanais, a Eurowing para 1 voo diário, a Air Europa para 4 diários.

    1. Veremos o que sai, mas já em W21 a Azul e a RAM tinham pedido slots. O código NW provavelmente é um dummy para não mostrar o código real do operador.

    2. Acredito que a Azul possa avançar…

      Ainda assim custa-me a crer que a Wizz e a LH avancem para o pedido.

      TK vem do boomm deste verao e dos resultados animadores que traziam. NTS para MAD pela UX seria realmente muito bom, ainda que pessoalmente preferisse IB.

      Esperava outros aumentos nomeadamente AF e BA …

    3. 4 diários da Air Europa são a operação normal, NST para eles não faz sentido. A Lufthansa provavelmente tem pedidos dois horários possíveis para o 2º diário de Munique, o que daria os tais 6 diários total.

      A Wizz pede sempre imensos slots, mas depois não dá nada.

  15. Tabela actualizada com boa parte da operação da Ryanair. Noto que a programação está muito incompleta, nesta altura prevê que os 11 aviões que temos este Verão continuem em W22 (tivemos 6 em W19) mas com muito baixa utilização, portanto não tiraria grandes conclusões nesta altura.

  16. Ate me parece que há redução de rotas e frequências, mas natural, dada a situação pandemica, dos combustíveis e evolução da guerra na Ucrânia, são demasiados ses.
    Esperemos que o S23, seja o melhor de sempre.

    1. É provavel, mas assim a olho diria que nesta altura as programações mostram números positivos. Só mais lá para Setembro é que vamos ter uma visão mais clara.

  17. E como será a próxima temporada de inverno, haverá muitas novidades ou apenas alguns reforços? Apostas para novas rotas?

    1. Regra geral não costumam haver grandes novidades na temporada baixa. Este ano ainda com a incerteza da pandemia e com o combustível caro provavelmente será ainda mais limitado.

  18. Pedro bem como outros que dominam estes assuntos.
    Li o comunicado da Ryanair.
    O voo de e para Frankfurt vai ter origem e destino final em Faro?
    Se assim for seria pois, salvo erro meu, excelente notícia já que seria primeira operação que réplica o que a Transavia faz com Funchal com voos oriundos e destino final em Paris, Lyon e Nantes.
    Salvo melhor opinião seria o reforçar de enorme potencial em que o AFSC seria o ponto central de passageiros em trânsito.
    Sal seria, entre outros, escala a potenciar

    1. O voo para Frankfurt que lá aparece é direto de Faro, no Porto já existe. A Ryanair não faz voos com escala, mas vende ligações em alguns casos. Por exemplo, é possível fazer Faro-Barcelona via Porto com um só bilhete Ryanair, mas é um projecto que com a pandemia acabou por ficar um bocado esquecido.

    1. Exatamente, em vez de prolongarem o aumento de Eindhoven para diário reabrem Maastricht. Pessoalmente acho que frequências diárias são sempre importantes, mas sendo nova rota tem incentivo adicional e sabemos que a Ryanair é sensível a isso. Estrasburgo também volta, depois de ter ficado suspensa com a pandemia.

      Aproveito para abrir a página de W22, à medida que tiver tempo vou atualizando com as programações.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.