COVID-19: Impacto

Página para discussão do impacto da pandemia de COVID-19 no aeroporto do Porto:

  • Aegean: operação suspensa em 2020;
  • Air Canada Rouge: operação suspensa em 2020;
  • Air Europa: operação suspensa até 15 de Julho;
  • Air France: operação retomada;
  • Air Transat: operação suspensa até 27 de Julho;
  • Azores Airlines: operação suspensa até 1 de Julho;
  • Azul: operação suspensa até Março 2021.
  • British Airways: operação suspensa até 1 de Julho;
  • Brussels Airlines: operação suspensa até 17 de Junho;
  • easyJet: operação suspensa até 15 de Junho;
  • Emirates: operação suspensa até 1 de Setembro;
  • Eurowings: operação suspensa até 1 de Agosto;
  • Finnair: operação suspensa em 2020;
  • Iberia: operação suspensa até 1 de Julho;
  • KLM: operação suspensa até 4 de Julho;
  • Lauda: operação suspensa até 1 de Julho;
  • Lufthansa: operação retomada;
  • Luxair: operação suspensa até 30 de Maio;
  • Royal Air Maroc: operação suspensa até 5 de Julho;
  • Ryanair: operação suspensa até 22 de Maio;
  • Swiss: operação limitada;
  • TAAG: operação suspensa;
  • TAP: operação limitada;
  • Transavia: operação retomada;
  • Turkish Airlines: operação suspensa até 1 de Setembro;
  • United: operação suspensa em 2020;
  • Vueling: operação suspensa até 1 de Julho;
  • Volotea: operação suspensa até 3 de Setembro;
  • Wizzair: operação retomada.

267 opiniões sobre “COVID-19: Impacto”

  1. Entretanto a Transportadora Aérea da Portela retirou os voos Porto – Madrid que estavam no sistema para o Verão de 2021!! Mais do mesmo desta companhia aérea. Que contará com mais de uma centena de voos por semana entre Lisboa e vários aeroportos espanhóis e zero do Porto! Sim Lisboa com mais de 100 voos para Espanha e Porto 0 é a previsão para Verão 2021!
    Falência seria pouco! Cambada….

    1. Só se desilude quem anda iludido.
      Já agora faz alguma diferença?
      Falta fazem a Emiartes, Turkish etc.
      Essa companhia vagabunda nem devia operar no AFSC, pois torna o local mal frequentado.

    2. É só ver as críticas no Jornal de Notícias de hoje e ontem (14 e 15 de Setembro), relativamente à confirmação do DESINVESTIMENTO da TAP, no Aeroporto do Porto !. LAMENTAVEL !.
      E andamos nós, com os nossos impostos, a injectar dinheiro nesta empresa …….

    3. É o que dá termos uma maioria de esquerda no parlamento, onde tudo deve ser nacionalizado e depois não há dinheiro pra nada. A TAP deveria ser totalmente privada, e aí depois eles decidiriam o que queriam fazer com a empresa, sem o nosso dinheiro

    4. Já há uns tempos tínhamos falado do caso de Madrid, e continuo a achar que nesta altura não faz sentido a TAP recuperar a rota. Dito isto, a minha previsão era que o resgate ia ser uma transferência fiscal para Lisboa, e até ver, está a sê-lo.

      José Freire, esse choradinho passa durante 1 ou 2 dias e depois é ignorado. O poder politico do Norte falhou redondamente no assunto TAP e quem manda na discussão agora são os interesses do costume. O mantra de a empresa é privada faz o que quer, é pública tem que fazer serviço público foi uma prenda para o Governo.

    5. Estamos a falar de Verão 2021. Ainda falta bastante. Não acho normal que não haja um único voo para Madrid sinceramente, principalmente quando a concorrência diminuiu (para já só no imediato). Para mais, quando de Lisboa, os 100 voos semanais para Espanha vão com ocupações modestas. Acho que não há argumentos possíveis.

    6. Até podiam ter 500 voos programados em Lisboa, o facto da TAP queimar dinheiro na Portela não é argumento para se pedir que queime mais um tanto no Porto, é mais argumento para questionar porque é que insistem em queimar em Lisboa.

      Mesmo pensando em 2021, em qualquer movimento de recuperação, a Iberia e a Ryanair estarão sempre na linha da frente. A Iberia pode fazer uso das ligações em Madrid com muito mais força do que a TAP pode fazer no Porto, e a Ryanair tem vantagem em custos operacionais para estimular o ponto-a-ponto. A Air Europa está fragilizada e eventualmente estaria a par com a TAP, mas lá está, em segundo plano. Há outras prioridades olhando já para W20.

    7. A prioridade é só uma e está definida. Colocar tudo em Lisboa. Não acredito que um voo num avião pequeno, um voo de 50 minutos para a capital espanhola não fosse rentável… Aproveitando as ligações do Porto a Ponta Delgada, Funchal, Newark, Rio, São Paulo, Sal….. etc etc e contando com o Ponto a Ponto, Madrid não é uma cidade qualquer. Seria certamente tão ou mais rentável quanto os de Lisboa, que são mais que as mães. Já que pagamos todos, colcoar 99 de Lisboa e 7 (1 por dia) do Porto para Espanha, não me parece uma aposta de muito risco. No Verão de 2021, ainda para mais época alta! Ou devo estar a ver mal a coisa

    8. Também há aí muitas pessoas que acham que todas as rotas da TAP dão lucro, e depois a empresa apresenta prejuízos constantes. Antes de pensar em ter rotas para ligações para melhorar a rentabilidade marginal de algumas rotas, seria importante ter essas rotas a funcionar bem, coisa que neste momento não se vislumbra: PDL nem está carregada para o Inverno, o longo curso está a mínimos, FNC ainda nem 2 diários tem, e por aí fora. O foco imediato tem que ser nos custos operacionais da empresa, em criar as fundações para o futuro e em aguentar o que funciona melhor (onde não se inclui Madrid).

      Já que pagamos todos, exijamos que os recursos sejam alocados de forma eficiente, em vez de exigir mais ineficiências.

    9. Pois pois pois…

      Isto é tudo muito bonito, mas a verdade é que são colocadas e retiradas rotas como se isto fosse atirar a moeda ao ar! Sinceramente não vejo por parte da TAP nenhuma estratégia comercial! A única coisa que assisto por exemplo é que agora a TAP quer fazer concorrência à operação charter.
      A verdade é que o dinheiro dos nossos impostos já lá está, mas um plano estratégico da empresa de investimentos e saneamento financeiro, esse nem vê-lo!

      E meus amigos se é para cortar ineficiências, santa paciência, mas não é só no Porto que se cortam, também têm de ser em Lisboa.
      Se é para manter rotas que naturalmente dão prejuízo, então essas rotas têm de existir no Porto também, pois uma parte muito significativa do turismo de negócios está assente na região norte!
      Não gosto de usar a palavra que vou usar a seguir, mas é uma VERGONHA não existirem voos da TAP do Porto para Madrid. Que se corte um ineficiente “Lisboa – qualquer coisa” para compensar.

      Já cansa a porcaria da história dos HUB´s que nada mais serve do que manter privilégios e os postos de trabalho assegurados e isso onde? Em Lisboa claro está.

      Quando isto estava a correr bem, todos vimos a postura arrogante e até ofensiva com que a TAP tratou operadores e agências de viagens, mas foram impostos desses também que serviram para lhes tapar o buraco que andaram, andam e pelo andar da carruagem ainda andarão a cavar.

      Tanto mais haveria a falar sobre a TAP, mas não gosto de confundir a companhia com aqueles que lá andam a “trabalhar”.

      E sim, está na hora de dizer um basta com um valente murro na mesa, pois é com o meu dinheiro que andam a brincar e se eu quiser “queimar dinheiro” sei melhor onde o usar! Trabalho em turismo e sinceramente ainda ninguém do governo me veio perguntar se necessito de ajuda para que os meus colaboradores se sintam seguros nos seus postos de trabalho. E sim, também somos estratégicos.

      (Desculpem o desabafo, mas já me cansa “esta TAP”)

    10. Certo, mas tens visto alguém do Norte colocar a questão em termos de eficiência operacional / estratégia comercial / plano estratégico? Não, só tens visto o habitual “se Lisboa tem, o Porto tem que ter”, “o Porto é discriminado” etc, que são facilmente rebatido pelos media da capital e pelos interesses habituais que te respondem logo que as rotas no Porto são deficitárias, e fecham o assunto. Depois alguém se lembrou de falar em “serviço público”, que é ele próprio uma admissão que no Porto as rotas são deficitária. Um verdadeiro tiro no pé. Alguém ouviu algum meio dizer que as rotas em Lisboa são deficitárias? Pois é.

      Agora, exigindo rigor na utilização dos fundos e colocando o foco na eficiência da empresa e na parte estratégica, seria muito mais benéfico.

      Por exemplo, há umas semanas trouxe o resumo de um estudo de rentabilidade de bases da Ryanair, onde se estimava o lucro da operação no AFSC em >70M€ e uma margem de lucro de 25%. Era encomendar um estudo desses completo, chamar a CS, e mostrar o contraste entre 70M€ lucro da Ryanair no Porto e 100M€ de prejuízo global da TAP.

      Outro exemplo, quando a TAP dizia que só recupera voos da Suíça para Lisboa e a Swiss estava a trazer ao Porto A330s e B777s por não ter mãos a medir. Era novamente chamar a CS e expor o absurdo.

      Paralelamente, deve-se sempre exigir que a TAP mostre que perde mais dinheiro no Porto que em Lisboa. Se a TAP conseguir mostrar isso acho que todos lhes devemos um pedido de desculpa. Se não conseguir, é mais uma prova de onde está o grande buraco.

      Insistir no choradinho é só admitir que a TAP perde dinheiro no Porto e andar de mão estendida, quando na realidade, a probabilidade da concorrência cobrir o espaço da TAP é muito maior no Porto do que em Lisboa. Veja-se os casos OPO-BCN / BRU / MXP e compare-se com LIS-BSL / BOG / OTP / VGO / LCG / etc. Se alguém precisa de favores, seguramente não somos nós.

    11. Comentário equilibrado e muito ponderado, Pedro… é bem melhor – e inatacável – pedir explicações à TAP expondo todos os argumentos do que exigir a rota A, B, C ou D no Porto só porque Lisboa tem! Um pouco infantil, como raciocínio… os tempos pós-COVID exigem mais clarividência! que a TAP nos prove que perde dinheiro no Porto, se não conseguir, podemos e devemos continuar a berrar; se conseguir, é procurar alternativas na concorrência!

    12. Que ilusão!!! A TAP perde dinheiro no Porto. Mas pouco, muito pouquinho…. comparando com o bolso furado de Lisboa! A questão não pode passar pela concorrência, quando o dinheiro que está a ser injetado é público. Até poderiam vir todas as companhias aéreas do mundo para o Porto, a partir do momento que a TAP é pública e recebe dinheiro dos portugueses tem que fazer serviço público, obviamente que olhando para a parte operacional e de rentabilidade! Mas com a presença tão reduzida no Porto, a as rotas que existem (muito provavelmente com dados operacionais mais favoráveis que as de Lisboa), não é por aí… Eles não mostram os dados / estatísticas oficiais de nada por algum motivo. Sabem onde está a podridão… Sabem muito bem! A empresa está à deriva, a tentar erradamente manter a política que seguia antes da pandemia. Não divulga, não esclarece! Todos assobiam para o lado. Não há plano estratégico, não há plano económico, nada! Exigem-se medidas drásticas por parte do poder local, medidas que ponham o dedo na ferida e atinjam a fundo a companhia. Andam iludidos, a abrir todo o mercado Norte Americano, Brasileiro e Africano em Outubro, mas quando virem que não há mercado e que os voos para “encher a Portela”, inclusivamente 2 por dia para Málaga, Santiagos, Tenerifes, bilbaos…. andam às moscas, bem que vão ter desejado ter muitos Porto-Genebra! Ou até um Porto-Madrid! Ou um Porto-Faro! Ou simplesmente sentam-se à mesa, riem-se, mete-se mais 1000 milhões se for preciso e está tudo bem! O ideal seria um privado tomar conta da empresa… mas ninguém a quer. Não pegaram antes, quanto mais agora!

    13. Luis, nem é questão de se perde dinheiro no Porto, é onde é que perde dinheiro na rede e começar por aí, acompanhado de um plano de redução de custos operacionais agressivo. Depois virá a parte estratégica onde obviamente o Porto terá que estar em pé de igualdade com Lisboa, mas primeiro parar de queimar dinheiro e ter a casa em ordem.

      Diogo, no fundo a tua opinião não é muito diferente, só discordamos da questão do “serviço público”. Em Lisboa vendem-te as rotas deficitárias como estratégicas e o hub como um desígnio nacional, no Porto vende-se a operação como “serviço público”, assumindo logo uma posição de inferioridade em relação à capital. Eu não vejo a importância do hub do Porto como inferior à do hub de Lisboa, portanto não concordo com essa perspectiva de inferioridade que ainda por cima apaga o problema de fundo, que são os custos operacionais da TAP.

    14. Desculpem lá mas esta discussão à nascença é ridícula.
      Ninguém no Porto tem de demonstrar nada, nem é obrigação de nenhuma entidade regional fazer esse trabalho. Somos uns mansos por continuarmos a desresponsabilizar quem de direito.

      Os únicos responsáveis são os gestores e dono da empresa que por acaso é o Estado português, representado por este Governo. Como tal são eles os únicos responsáveis por mais um episódio absurdo em torno da TAP.

      A questão não está no serviço publico, mas na responsabilização de quem gere a empresa.
      Todos os dados falados da Ryanair, das margens por rota, taxas de ocupação, restabelecimento por outras operadoras são publicas, são o core business da TAP e como tal não tem de ser nenhuma entidade local a reclamar disso.

      Os responsáveis são claro e é a esses que temos de acatar responsabilidades por este descalabro.

  2. Atualização 12/09/2020

    Wizz Air – Nova rota: Dortmund [2xw]
    A partir de 13 de dezembro de 2020

    DTM 12:20 – 14:10 OPO __3___7
    OPO 14:45 – 18:25 DTM __3___7

    1. Menos mal que se resgatou a empresa com dinheiro dos contribuintes, não sei como o país ia sobreviver sem voos de Lisboa para Oujda, Monastir ou Ibiza.

      Fora brincadeiras, são aqueles voos que eles faziam como charter mas que agora lançam como regulares, um regime similar ao do Porto – Porto Santo que eles tinham. Assim sempre vão buscar alguma receita antecipada, e convidam já os operadores a oferecerem esses voos em vez dos charters. Por outro lado, a TAP também tem feito algumas dessas ligações a partir do Porto (Agadir, Oujda, Fuerteventura, Ibiza, etc.) e podia ter feito exactamente o mesmo… mas até ver nada.

  3. Resumindo, que ainda não retomaram a actividade no AFSC:
    Aegean
    Air Canada Rouge
    Azul
    Emirates
    Finnair
    Royal Air Maroc
    TAAG
    Turkish Airlines
    Volotea
    United

    Companhias que já retomaram actividade:
    Air Europa
    Air France
    Air Transat
    Azores Airlines
    British Airways
    Brussels Airlines
    easyJet
    Eurowings
    Iberia
    KLM
    Lufthansa
    Luxair
    Ryanair
    Swiss
    TAP
    Transavia
    Vueling
    Wizzair

    Correto?

    1. Exactamente, embora no caso da Turkish só os voos de passageiros ainda não foram recuperados, os de carga estão a funcionar.

    1. Seriam voos todos os dias para os Açores, excepto às 3ªf. Para a Azores parece-me algo optimista, principalmente se a TAP mantiver PDL diário, mas vamos ver.

    1. Provavelmente relacionado com a chegada de mais A321LR para a Air Transat. Esperemos que as coisas já estejam mais normalizadas nessa altura para permitir esse 2º semanal.

  4. Atualização 27/08/2020

    Swiss
    ZRH – 10xw (10xw durante toda a temporada, variação entre 10xw e 13xw) (+5xw)
    GVA – 5xw (um incremento das 5 frequências – em W19: 4-5xw)

    1. Pelo menos alguém que não anda a dormir e sem obrigações aos portugueses
      Claro que depois as rotas da TAP não dão lucro… Se deixarem ocupar o espaço que eles deixam !

    2. Passamos a ser o 1º mercado da Swiss na Península Ibérica no inverno:
      Porto – 15xw
      Barcelona – 12xw
      Lisboa – 8xw

    3. Com estas subidas como fica o Grupo Lufthansa no Porto?
      Swiss: 15xw
      Lufthansa: 19xw
      Brussels: ??

    4. Se o que a Swiss tem programado hoje for a operação final, seria um aumento de 65% no nº de lugares comparativamente a W19. Mas Genebra está com um nº de lugares equivalente, o crescimento seria todo na ligação a Zurique.

      SID, ficaria efectivamente como 1º mercado tal como já está a acontecer agora no Verão. Mesmo com o regresso paulatino à normalidade, se a TAP não recuperar alguma presença e salvo uma expansão agressiva da easyJet, o normal seria que a operação no Porto tivesse uma dimensão parecida à que a Swiss tinha em Barcelona.

      João, a Brussels tem programados 4 voos por semana para o Inverno, e a Eurowings outros 2.

  5. E entretanto, com o levantar da quarentena obrigatória para passageiros de Portugal no RU, é já óbvio um forte efeito em alta nas tarifas dos voos, principalmente nos fins de semana. Não me parece que vejamos mais voos pela própria insegurança que as mudanças repentinas na politica de corredores aéreos tem causado, mas espero que permita melhorar as baixas ocupações que essas rotas tem tido e eventualmente evitar o cancelamento adicional de voos.

  6. W20
    AirFrance – CDG – reforço para 7xw durante toda a temporada
    Luxair – LUX – reforço para 7xw durante toda a temporada

    Lufthansa – FRA – redução para 14xw durante toda a temporada
    Lufthansa – MUC – redução para 5xw durante toda a temporada

    Volotea – BIO – regresso agendado para 17 de dezembro

    Pedro, é expectável um reforço da Swiss e da Brussels tal como aconteceu em S20 ?

    1. A Easyjet também passou GVA para 27xw (5º diário aos domingos), LYS começa com 12xw, passa a 7xw em janeiro e 14xw em fevereiro e Zurique passa para 7xw (exceto em janeiro que mantém os 3xw)

    2. Diria que muito do que está programado ainda é preliminar, e provavelmente será revisto em baixa. Não acredito que vejamos muitos exemplos de companhias a operar mais voos no Inverno do que no Verão.

      Se a Wizz está a agora com 2 semanais para Viena, duvido que no Inverno suba para 3, e se a easyJet reviu em baixa Zurique para 2 semanais em Set – Out, dificilmente vai ter diário a partir de Novembro. Eles é que mantém a programação inicial no sistema para facilitar trocas de voos, e para angariar o máximo de reservas a prazo. Mesmo que acabem por cancelar os voos, como muitos passageiros tem optado por vouchers ou remarcações de datas, acaba por lhes compensar. Parvo, no fundo, é fazer como a TAP, que primeiro retirou os voos do sistema, processou remarcações / vouchers / devoluções, e depois voltou a carregar alguns deles com pouca antecedência.

      PMF, consigo imaginar a Swiss com uma programação reforçada principalmente caso a TAP se mantenha praticamente ausente e a easyJet deixe Zurique apenas com 2xw. Mas a Brussels já agora no Verão está com 8xw quando teria normalmente 14xw, se conseguir manter os 4 semanais no Inverno já seria fantástico.

    1. Se a partir de Setembro já estão a sentir dificuldades, obviamente que chegando ao Inverno a probabilidade dos cortes de acentuarem é muito elevada.

  7. Redução frequências Ryanair Espanha Set/Out:

    MAD: 5x (opera apenas a rotação da manhã, excepto 3as e 5as)
    BCN: 7x (diário só com a rotação da manhã)
    SVQ: Suspenso até 22/10
    VLC: Suspenso até 18/10

    1. Foi um ajuste global na casa dos 20%, Espanha foi dos mercados com mais cortes na rede. No Porto, conforme discutimos no outro dia, as rotas espanholas tem estado com números pobres, pelo que os cortes não surpreendem, mas não são os únicos. Por exemplo Edimburgo e Liverpool também ficam suspensas a partir de Setembro e o recomeço de Marrakesh passa para o Inverno.

    1. É uma vergonha termos uma companhia aérea que se diz de bandeira, que não serve minimamente, os interesses do AFSC !.

    2. Vergonha é.
      Surpresa não.
      Só lamento que os 5/ ainda não tenham percebido o quanto prejudicam a região do Porto e vale do Douro.

    3. Não querendo defender a TAL (até porque estou sempre a criticar), a verdade é que com a reposição gradual que está a fazer irá aumentar essa percentagem de passageiros já em Agosto e mais ainda em Setembro e Outubro.
      O que eu acho, analisando o que está em curso e o previsto (pelo menos aberto a reservas…):
      – Genebra é um escândalo. Principalmente nestes meses de Verão.. Colocarem um 3º diário em Lisboa, que tem tido ocupações miseráveis, e não colocarem esse diário no Porto, quando a Easyjet já tem mais capacidade na rota, a SWISS mete A330 ou B77 na rota. Enfim escândalo é pouco.
      – Madrid! Não termos Porto ligado a Espanha com a TAP, e Lisboa cheia de vários voos para Espanha, com ocupações miseráveis…. Quando se ponderou Ponte Aérea do Porto e Lisboa para Madrid… Tristeza…Reservas disponíveis só em Março de 2021 !! Tristeza..
      Relativamente ao quadro que apresentaram, acho que foram também infelizes. Devem ter colocado 1 a 24 de Outubro, por forma a coincidir com o fim do Verão IATA. Se calhar deveriam ter colocado 1 a 31 de Outubro, pelo menos poderiam dar a notícia do voo para o SAL (à venda a partir do Porto após 28 de Outubro) e São Paulo (à venda direto a partir de 29 de Outubro). …. Departamento de Marketing a falhar….
      O departamento de rotas e estudo de rotas …. esse já não deveria estar lá há anos… ou cortam-lhes as pernas!

    4. Nada de surpreendente, já há meses que se sabia que ia ser assim. Também, sem surpresa, o barulho que foi feito na altura teve efeito zero.

      Diogo, não recuperar Genebra efectivamente é incompreensível, mas Madrid está fraco e mesmo Milão acho que vai ter dificuldades estando agora a Wizz tão forte. Haviam outras opções. Mas em geral a alucinação na programação da TAP continua, estes dias tem anunciado uma promoção para voos de longo curso a partir de Outubro, inclusivamente preparando o lançamento de rotas como Maceió e Cancún… não sei em que mundo vivem, mas neste não é de certeza.

    5. No imediato, quais as opções mais viáveis?
      Madrid e Milão… chama-se concorrência… tem que ir à luta. Se forem meios vazio vão, não é assim que andam desde Lisboa? Já não temos lá muitos milhões de todos nós? Ou o Porto tem zero voos para Espanha e Lisboa tem às dezenas, para aeroportos maiores e apeadeiros?? Pergunto se vão todos cheios? 😀

    6. Sem ser muito criativos podiam acrescentar Faro e Porto Santo, por exemplo. Na Europa, para além de Genebra, poderíamos ver Basileia, Lyon, Marselha, e com alguma criatividade Sion. Tudo com frequências baixas, mas devia compensar comparativamente a ter os aviões em terra ou a fazer voos como Madrid, que precisam de um passageiro de negócios que ainda não voltou. E depois deviam ajustar os horários para permitir ligações aos Açores e à Madeira. Como está agora só dá para fazer 4 ou 5 ligações, mas devia dar para fazerem quase todas.

      Em Lisboa pelo que vi dos números de Julho de Madrid, estão tão vazios como no Porto, mas aí o criticável é que queiram reforçar ainda mais na Portela, não que estejam em falta no Porto. De Milão ainda não saíram, mas olhando para os preços da Wizz dá para ter uma ideia do que ai vem. A TAP não tem caixa para entrar em concorrências por quota de mercado com companhias como a Wizz.

    7. É só assumir que a TAL é mais um sorvedouro dos impostos dos contribuintes para alimentar a soberba da capital do império.

  8. Entretanto ficamos a saber que em W20 a capacidade da pista vai ficar reduzida de 20 para 16 movimentos por hora, à custa dos trabalhos no taxiway. Neste momento há algumas faixas horárias com >16 mov/h, mas esperemos que no Inverno se consiga gerir.

    1. Os trabalhos no taxiway, estão mais complicados que a Sagrada Família em Barcelona!!!
      Sinceramente e apesar de existir alguma complexidade ela não é assim tanta. Se a vontade fosse muita e atendendo à baixa (ou mesmo muito baixa) utilização poderia a obra decorrer tranquilamente e dentro de prazos.

    2. Sem dúvida! Espero que esta baixa temporal de capacidade seja para garantir que em S21 temos obra finalizada, porque inicialmente o que estava previsto eram aqueles cortes durante a noite.

    3. CVP, não é assim tão fácil como parece… Existem N variáveis mas, foi dado um grande avanço agora nos últimos meses.

    4. Golf Lima, sinceramente não é uma obra com um grau de complexidade assim tão elevado.
      A maior dificuldade desta obra (ou N variáveis que fala) estão mesmo na envolvente da área de implantação e nas suas condicionantes, pois a obra em si mesma, não é nada de extraordinário, que não seja projectado e executado pelas equipas de engenharia em N situações, em que muito embora a finalidade seja outra, o processo construtivo é semelhante.

      Esta obra não podia ter tido maior benesse que a gerada pelo COVID-19 e garantidamente com muita muita muita vontade poderia estar num outro patamar!

      À aviação já lhe bastam as limitações existentes, não são ainda necessários somar factores exógenos e limitativos…

    5. Bom dia.

      E em relação à easyjet e transavia já se sabe de algo a partir de setembro/outubro? Teremos cortes significativos?

    6. Salvo duas ou três excepções, praticamente todas as companhias estão com cortes nesta altura, não é de esperar outra coisa. Se são significativos ou não, comparativamente ao que havia antes da pandemia são todos significativos (quase tudo na casa dos 2 dígitos).

    1. Sim, não surpreende. Ainda assim continua carregada para S21, enquanto outras rotas da rede foram completamente eliminadas do sistema, o que é um sinal de esperança. Pelo menos em carga acredito que seja possível recuperar alguma coisa, não por acaso a Turkish tem trazido B77Fs em vez dos A33F programados.

  9. Bom dia.

    Alguém já tem referências em como será a partir de setembro? Especialmente a easyJet, transavia e as companhias que neste momento têm mais rotações?

    1. Ainda não fiz as contas para Setembro, mas assim a olho diria que está um bocado melhor que Agosto. Não espero muito melhor, salvo que o RU elimine a obrigatoriedade de quarentena nos voos de/para PT.

    1. Acrescentam um voo à 1ª hora de Heathrow nos dias em que não estava programado. Ainda assim o mercado continua em mínimos à custa da quarentena obrigatória.

    1. Nota-se que eles estão a ter alguma dificuldade em recuperar a operação, já a recuperação do 2º diário tinha sido adiada e agora a passagem para a Air Nostrum. A Iberia no Porto depende muito do longo curso, que está praticamente parado, portanto é normal estar a sofrer um bocado. Nesta altura o importante é que consigam recuperar frequências o antes possível.

  10. Já é possível confirmar algumas mudanças para W20 por parte da Ryanair:

    ALC 2xw
    BCN 17xw
    BER 3-4xw
    BHX 2xw
    BLQ 2xw
    BOD 2-4xw
    BRE 2xw
    BES 2xw
    BVE 2xw
    CRL 7xw
    BRU 6xw
    BUD 2xw
    CAG 3xw
    CGN 1xw
    KRK 2xw
    DLE 2xw
    DTM 2xw
    DUB 2xw
    FRA 4xw
    GNB 2xw
    HAM 2xw
    FKB 2xw
    LPL 2xw
    STN 18xw
    LUX 7xw
    AGP 3xw
    MLA 1xw
    MAN 3xw
    RAK 2xw
    MRS 7xw
    FMM 2-3xw
    BGY 6xw
    MXP 4xw
    BVA 19xw
    XCR 2xw
    PDL 4-6xw
    CIA 3xw
    SVQ 3xw
    TER 2-0xw
    TLS 1xw
    TUF 3xw
    VLC 3xw
    TSF 2xw
    VIE 4xw

    Já confirmado com a Azores Airlines a programação para W20 é a seguinte:

    PDL 6xw
    TER 1xw

    1. Acredito existir ainda cortes em alguns destinos nomeadamente BCN, MAD, BVA e STN…
      A seu tempo veremos qual a percentagem

    2. Parece-me que ainda está muito calcado do que seria uma temporada normal. As companhias estão a ajustar muito em cima da hora, provavelmente só veremos um esboço mais realista lá para Setembro, e não me surpreenderia ajustes quase à semana.

    3. Por falar na Suiça, ontem um dos 5 diários da Swiss foi feito com o B77W da companhia helvética

    4. SID, nessa sua lista não consigo saber onde há cortes. Sabe dizer? De quantas para quantas frequências? Obrigada.

    1. Uma coisa é fechar a base, outra coisa é sair do aeroporto.

      Golf Lima, a suposta saida da Terceira foi por terem retirado os voos a partir de Janeiro.

    1. Os voos estão à venda a partir de 1 de Setembro de acordo com o que existia. Terças, Quintas Sábados e Domingos. Espero que seja para manter, tem tudo para dar certo, a procura aos poucos está a aumentar.

    2. Exato, parece-me é que simplesmente não mexeram na operação do Porto, rotas europeias mais maduras tem à volta de 4xw. Esperemos mais uns dias, mas se separassem a operação em Portugal para manter as duas rotas seria excelente obviamente, principalmente a nível de carga.

    1. SID, essas contas tem que ser feitas com trajectos one-way para não contar a dobrar.

      De resto, está mais próximo da proporção que havia em 2019 do que o que tinha sido planeado inicialmente. Fico satisfeito por ver que PDL já vai ter operação normal e que para o FNC já vão haver dias com 2 diários. Mesmo assim claramente falta GVA.

      Por outro lado, a PressTur usar como fonte comentários de um forum aberto é algo que não pensei ver.

    1. Quando é que a TAL assume abandonar o AFSC?
      Que fique na capital do suposto império

    1. Tomando como referência a semana de 16 de novembro, eis o que a EasyJet tem carregado:

      BSL 11xw
      BOD 3xw
      BRS 3xw
      GVA 24xw
      LGW 6xw
      LTN 3xw
      LUX 6xw
      LYS 11xw
      FNC 3xw
      MAN 3xw
      MPL 2xw
      NTE 4xw
      NCE 3xw
      CDG 8xw
      STR 2xw
      TLS 5xw
      ZRH 4xw

      * como é habitual, em janeiro/fevereiro existe alguma redução

    1. O que a ACP criticou foi o plano de retoma a partir de Julho, eles são mesmo idiotas e ceguetas em relação à capital do império. Comparem os planos da Ryanair a partir de Julho no Porto comparado com a TAL, e aí verão a diferença! Ridiculos e completamente parciais no que toca ao Porto vs Lisboa

  11. Alguém sabe porque é que a TAP anda a cancelar os voos todos? Aguarda o guito? Lay-off até final do mês e não consegue tripulações? Insolvência já?
    Dos voos programados desde Lisboa faz Porto e ilhas de vez em quando.. De resto está sempre tudo cancelado…. Dia após dia….

    1. Muitos desses voos que agora aparecem cancelados já o foram há algum tempo, no site da ANA é que continuam a aparecer. Mas sim, eles tem vindo a adiar o recomeço de algumas rotas, e imagino que continuemos a ver isso. Nesta altura ainda há muita incerteza e é difícil fazer grandes julgamentos, mas com a TAP a apostar no sentido contrário ao das outras companhias europeias (basta olhar para o que é a programação da Iberia e ver as diferenças…) era de esperar algum reality check. O departamento de rotas da TAP continua a inspirar pouca confiança.

    1. Sim …. uma excelente noticia….. Tambem a AirFrance realizou o voo em A321-212 cheio

  12. Não sei se vai adiantar alguma coisa, mas Associação Comercial do Porto entregou providência cautelar no Supremo Tribunal Administrativo, para suspender financiamento da empresa. Objetivo: forçar o Governo a negociar e a TAP a inverter estratégia e a apostar mais no aeroporto Sá Carneiro. Plano B revelado na próxima semana….. segundo Jornal Expesso

    1. Bom sempre é um começo, pode ser que a pressão no governo de fazer a coisa certa dê frutos

    2. Parece-me uma boa iniciativa. Levanta alguns dos pontos que discutimos com a análise no inicio do mês e tenta trazer a discussão para um nível racional e do negócio em si, algo que tem faltado. Ninguém investiria o seu dinheiro da forma que o Estado quer fazer com a TAP, portanto salvo muito boa justificação, o Estado não o deveria poder fazer com o dinheiro dos contribuintes.

      Também volta a lembrar que apesar das promessas, a TAP continuou a ter programado exactamente o que tinha antes do Rui Moreira e outros começarem a reclamar (demonstrando que a táctica continua a não funcionar), e se antes não era aceitável também não devia ser hoje.

    3. O tribunal aceitou a providência cautelar impedindo o estado de injectar dinheiro.
      Aguardemos os próximos capítulos.

    4. Ainda estou muito céptico em relação a isto tudo… não dá pra confiar naquilo que a TAL diz

    5. Engraçado anunciar uma rota para Nova Iorque em Julho, quando se fala cada vez mais da hipótese da união europeia manter as fronteiras externas fechadas para os EUA.
      Pura operação de charme.

  13. Viena – Porto, a rota começa a 1 de Julho com dois voos por semana, quando anteriormente previra quatro.

    Rota Estugarda – Porto desaparece. Teve início previsto para 4 de Julho com um voo semanal.

    1. Estava previsto com 2 semanais, mas com toda a história à volta da Lauda parece que não vai avançar. Melhor para a easyJet, que mantém o monopólio.

  14. Não temos tido sorte com a abertura de rotas para as novas bases Wizz…
    Estará o AFSC na linha de aberturas de bases da companhia ? Se sim, quais os destinos, hipoteticamente, mais apontados para cá ?

    1. Também não estou a ver dessas bases novas que rotas fariam sentido em tempos normais, quanto mais em tempos destes. Se eles abrirem mais como Malpensa, aí sim, podia fazer sentido, mas não tenho nenhum palpite sobre quais seriam essas bases.

    1. Obrigado MSA, já actualizei a tabela. A Air Transat também adiou o regresso para 27 de Julho, e fica só com Toronto 1xw.

    2. Creio que a LH também muda um pouco a programação. Pelo menos para Julho estão carregados 7xw para FRA e 10xw para MUC

  15. Pelas minhas contas, em Junho estamos com cerca de 10% da capacidade programada comparativamente ao cenário inicial. As companhias a operar (+ percentagem de recuperação) são:
    – Air France (45%);
    – Brussels Airlines (15%);
    – easyJet (5%);
    – Lufthansa (20%);
    – Luxair (100%);
    – Ryanair (10%);
    – Swiss (50%);
    – TAP (2%);
    – Transavia (10%);
    – Wizzair (75%);

    A RAM tem previsto recuperar 40% da capacidade, mas tenho algumas dúvidas sinceramente.

  16. Continua a novela…. “TAP desvia passageiros do Porto para Lisboa sem aviso prévio” relata o JN. Segundo o mesmo, a “Rota para Genebra só vai ligar à capital e quem parte de Pedras Rubras não foi avisado da alteração e continua a encher aviões na Portela com passageiros que tinham bilhete a partir do Porto”.

    1. Não basta deixar de voar, ou ainda não percebeste qual o problema disto? O problema é que é uma empresa regional, onde o país inteiro principalemente a região norte (que é a mais populosa e a que exporta mais), vai ter que injetar dinheiro dos contribuintes desta região para salvar a TAL…

  17. TAP agosto:

    Newark – 1 por semana
    Paris, Londres e Funchal – diário
    Lisboa – 5 diários
    Luxemburgo – 3 por semana.

    Fim.

    1. Claramente a estratégia continua a ser escalar a operação em Lisboa o mais rápido possível. Não oferecendo operações diretas a partir do Porto e recusando reembolsos em dinheiro podem fazer uso das reservas antecipadas e “forçar” reencaminhamentos por Lisboa. Perfeitamente legitimo, mas para isso a AML pague o buraco.

    2. O problema é que não vai ser a AML a pagar o buraco, portanto não, não é legítimo nem podemos aceitar enquanto contribuintes da TAL!

    3. E voltam as ventoinhas. ATR72 nos 5 voos diários da TAP em agosto e 2 dos 3 diários em julho.

    4. É toda uma classe de conforto, em tempos de coronavírus e em ATR….. para a Europa. Não é o sonho de qualquer um, ir a Lisboa para seguir para destinos aqui ao lado? …7 horas de puro conforto, estimulável ambientalmente, verdadeiro ganho de tempo e dinheiro, com o prazer de voar nos melhores aviões ao nível de ruído. Obrigada TAP pela maravilhosa oferta e por saberes como usar os nossos impostos 😂😂😂

    5. É começar a utilizar os HUBs da Iberia, Lufthansa e Air France e deixar de utilizar o HUB da Tap ……
      Eu já faço isso, desde há anos !.
      Até nos gozam a todos, com a reitrodução dos fantásticos ATRs …..
      Sem comentários.

  18. Munique regressará a 16 de junho com a LH 3 vezes por semana

    A RAM avançará, como já é sabido, no dia 18 de junho sem voos às terças e quartas

    Os planos da Iberia parecem-me não proveitosos para o mercado em questão…

    1. O horário escolhido pela Iberia, sem longo curso, não é o mais interessante não. Parece-me mais direccionado a ponto-a-ponto, para ligações europeias vão deixar principalmente à Vueling nesta altura.

    1. Diria que na programação de Setembro ainda não terão mexido, porque está igual ao programado. Mas vamos ver.

  19. Dados disponibilizados pela EasyJet referentes a julho e agosto:

    Basileia – 11xw
    Berlim – 2xw
    Bordéus – 3xw (eff. 1AUG 4xw)
    Bristol – eff. 1AUG 2xw
    Estugarda – 2xw (eff. 1AUG 3xw)
    Genebra – 21xw (eff. 1AUG 28xw)
    Ibiza – eff. 1AUG 2xw
    Londres GW – 3xw (eff. 1AUG 4-7wx)
    Londres TN – 4xw
    Luxemburgo – 6xw
    Lyon – 7xw (eff. 1AUG 13xw)
    Madeira – 4xw (eff. 1AUG 7xw)
    Málaga – s/ operação
    Manchester – (eff. 1 AUG 2xw)
    Montepellier – s/ operação
    Nantes – eff. 21JUL 3xw (eff. 1AUG 4xw)
    Nice – 3xw
    Paris CDG – 11xw (eff. 1AUG 14xw)
    Tolouse – 2xw
    Zurique – 6xw

    Por sua vez, a Transavia France para julho e agosto apresenta o seguinte:

    Madeira – 1xw
    Lyon – 3xw
    Nantes – 4xw
    Paris ORY – 12xw (eff. 1AUG 14xw)

    1. Para os senhores da TAP os administradores destas empresas são todos burros… o único aeroporto rentável é o da capital do império. heheheheh

    2. Se esta for a programação final da easyJet seria excelente, estaríamos a falar de uma recuperação em relação ao programado de 50% em Julho e 75% em Agosto. Comparando com 2019 os valores seriam 65% e 95% respectivamente. Sem surpresa, os mercados tradicionais de emigração e a Madeira a se mostrarem mais fortes. No caso de Genebra, até já adicionaram voos agora para Junho, um excelente sinal.

      A Transavia não está tão optimista, e curiosamente é na Madeira que faz o maior corte. Ainda estou a finalizar a contabilidade final, mas parece que estaria na casa dos 50% em relação ao programado.

    1. Na linha editorial deles, mas numa coisa tem razão, realmente a gestão devia estar com os privados. Igualmente os privados não deviam estar de mão estendida ao contribuinte, mas não é esse o mundo em que vivemos.

    1. Já chega.
      Está na horinha de dizer á TAL que fique pela Estremadura mas que não venha pedir guito.
      Temos operadores que chegam e não vamos utilizar dinheiro escasso a sustentar essa gentalha

    2. Sou do Porto, mas não viajo na TAP desde há anos !.
      Mesmo com sacrifício pessoal, vou frequentemente fazer escalas a Madrid, Frankfurt ou Paris, só para não viajar na TAP !……

    3. Pá, eu começo a achar que isto é um esquema.

      1 – a TAP lança uma programação ridícula no início de maio. Vergonhosa, mesmo. Uma operação que mantinha um conjunto de rotas que toda a gente via que não iam ter procura. Os partidos reclamam, as forças do Norte idem.
      2 – 3 semanas depois, sai uma nova programação, menos absurda, mais racional e lógica, mas ainda assim atentatória dos interesses do país que não Lisboa. Os partidos reclamam, as forças do Norte também e até o Presidente da República se insurge.
      3 – A TAP volta a prometer que vai rever a operação.

      A partir daqui, eu prevejo o seguinte: a TAP vai dar uns rebuçados. No Porto, mete Londres, Madrid, Milão, Zurique ou Genebra. Em Faro, no Funchal e nos Açores, aumenta frequências para Lisboa. Fica toda a gente contente e o governo usa isto como justificação para a manutenção da TAP na esfera pública e suportar assim a decisão de injectar naquele poço sem fundo 1000 milhões de euros.

    4. João Ferreira

      Concordo com a tua analise porque já não e a primeira vez que o fazem. Agora falta saber se o rebuçado vai ser doce ou mais uma vez amargo

    5. João Ferreira claro que vai ser assim, gira o disco e toca o mesmo…
      A única esperança é que a UE não permita isso.
      Politicamente serve só quando serve quando deixar de servir…

    6. Temos acompanhado os vários “flops” da politica de rotas da TAP. Este é só mais um, não acredito que estejam a pensar mais além.

      De resto, à medida que vamos tendo o regresso de outros operadores, os sinais são positivos:
      – A Swiss tem estado desde a semana passada a mandar A321s desde Zurique. Inicialmente estavam planeados A223s. Os ZRH-OPO de amanhã e de dia 6 de Junho estão completos (ambos A321s), idem para o OPO-ZRH de 2ªf (A321 também). Para GVA mantém-se os A223s, e os próximos a 2 e 9 de Junho também estão cheios. Os preços não são os mais simpáticos.
      – Os STN da Ryanair também tem andado com bons números apesar dos preços altos. O STN-OPO de amanhã, por exemplo, está com 95% de ocupação.
      – Os FRA-OPO da Lufthansa de amanhã (A320neo) e de 1 de Junho (A321neo) a 100%;
      – Os primeiros Air France a 6 de Junho com excelentes números também, o CDG-OPO a 100% e o OPO-CDG só com 3 lugares em executiva.
      – A própria TAP tem vários voos cheios previstos para Lisboa. Dada a situação, imagino que seja tudo ligações.

      Nada mau numa altura em que ainda há restrições à mobilidade, e num aeroporto supostamente sem procura.

  20. Actualizção a 27.05.2020

    – Aegen ja a venda a partir de 2 Agosto 2x
    – Air Transat ja a venda a partir de 2 Julho 6x
    – British Airways ja a venda a partir de 1 Julho 1x
    – Wizz ja a venda Budapeste a partir de 2 de Junho 2x
    – Wizz ja a venda Viena a partir de 3 de Junho 2x
    – Wizz ja a venda Luton a partir de 2 de Junho 3x
    – Wizz ja a venda Vasóvia a partir de 21 de Junho 2x

    1. A Aegean deve ter desistido de retomar os voos para o Porto. Hoje recebi o cancelamento do meu voo de 15/08. Se não operam em agosto, calculo que este ano já não vejamos esta rota.

    2. Parece pouco provável realmente, só há uns voos programados em Setembro. Mesmo em Lisboa, tinham quase 2 diários e ficou em nada. Espero que te ofereçam uma alternativa viável ou reembolso.

  21. Transavia ja tem carregado o programa:

    Orly inicia a 26 Junho
    Nante inicia a 16 Junho
    Lyon inicia a 15 Junho
    Amesterdão inicia 11 Junho
    Madeira inicia 1 Julho

  22. Também o presidente da AMP. Eduardo Rodrigues afirmou hoje, muito bem, que temos de tratar do desenvolvimento do Norte com ou sem TAP.
    Que se a TAP pode viver sem o Norte o Norte vive bem sem a TAP.
    Apoio totalmente. Procuremos soluções já. Até o Presidente da República já se manifestou.
    Insolvência já.

    1. Isso é muito bonito, o norte pode muito arranjar alternativas, mas vamos estar a pagar a TAL na mesma…

  23. Pedro, vi em tempos alguns dados sobre os passageiros indiretos da TAP a partir do Porto via Lisboa.
    Consegues facultar-me esse dados bem como as respetivas fontes ?

    1. Apareceu no anna.aero. Os dados originais são da OAG, para o periodo Jan – Nov 19. Os números de 2019 completos serão um pouco superiores:

      Porto Via Lisboa: 587.000 pax (62% dos pax da Ponte Aérea);
      – De/para Europa: 350.000 pax;
      – De/para Brasil: 104.000 pax;
      – De/para Angola: 22.500 pax;

      Principais destinos:

      Link para o artigo completo

  24. A culpa disto tudo é dos políticos que nós elegemos para nos defender! São uns lambes botas das capital do império. Façam como eu TAP nunca…. vou por Espanha, França,….

  25. Rui Moreira e todo o norte têm de tomar medidas sérias em relação a esta situação.
    É para esta companhia que todos os contribuintes vão ter de pagar uma injecção de mil milhões de euros?
    VERGONHA fechem-na já.

  26. A TAP já anunciou para os próximos meses

    A relação entre LIS e OPO e para ser meigo, vou apenas dizer que é vergonhosa.

    MAIO
    LIS – 100% OPO – 0%

    JUNHO
    LIS – 100% OPO – 0%

    JULHO
    LIS – 96% OPO – 2% PDL – 2% (rotas internacionais)

    Descontei a estas contas os voos LIS – OPO.

    Para a TAP o AFSC tem a mesma relevância que o PDL!
    Acho isto vergonhoso…

    1. E tem a distinta lata de virem para os meios de comunicação dizer que foi engano e que a programação nao estava ainda fechada. E temos os nosso excelentes politicos também nos meios de comunicação a dizer que realmente a TAP tinha de apostar mais no AFSC, só mesmo para nos enganar..

    2. Sendo sério, eu pelo menos agora não me sinto gozado. Os Abidjan, Conakry, Compostela, Maceió, etc. desapareceram todos do mapa. A operação hoje, tem lógica, que era coisa que há 3 semanas não tinha.

    3. Também não gosto da programação, e especialmente não gosto que optem por tirar os voos do Porto do sistema para os reporem depois (oferecendo apenas via LIS pelo meio).

      Mas estou de acordo com o João em que há alguma racionalidade comparativamente ao último esboço.

    4. Numa companhia privada faz todo o sentido esta programação, centrando tudo no hub.

      Mas numa companhia pública é uma aberração de todo o tamanho.

    5. Não necessáriamente. Havendo 1 voo diário, se ele estiver em Lisboa, podes distribuir passageiros não só para o Porto mas também para Faro, Madeira e Açores. Se o voo estiver no Porto só dá para distribuir por Lisboa e Funchal. Felizmente temos outras companhias para ir cobrindo os espaços, os outros aeroportos nem tanto.

      Havendo mais do que voo diário, e sendo uma rota existente no Porto, aí justifica-se a duplicação obviamente. Foi mais ou menos o que foi feito, tirando os casos de Londres (que espero tenha sido só falha de comunicação, porque já tinha sido anunciado), Madrid e Milão.

  27. Atualização 21/05/2020

    AirEuropa – 15 julho (redução para 7xw julh.-agst-…)
    AzoresAirlines – 1 julho
    Brussels – 17 junho – 4xw até setembro
    Eurowings – 20 junho
    Finnair – op. suspensa em 2020
    Iberia – 1 de junho a 1 de julho – s/voos
    RAM – 18 junho
    TurkishAirlines – 15 junho
    Volotea – 14 junho

  28. Confirmado diario da Luxair com inicio dia 30 de Maio em Boeing 737-700, ja carregado para reservas. Mais uma boa noticia…. normal a regressar aos poucos.

    1. Boa noticia, antecipa uns dias o reinicio dos voos. Luxemburgo na pratica funciona como um voo doméstico, portanto não deve ter problemas em recomeçar. Boa noticia o recomeço da Air France em 2 semanas.

      A easyJet também anunciou hoje que vai regressar ao Porto a 15 de Junho com voos diários para Genebra.

  29. Atualização 16/05/2020

    Ryanair & Lauda

    Frequência indicadas considerando o período de 1 de julho a 30 de outubro:
    * Algumas alterações em agosto (devidamente assinaladas)
    * Sem voos em S20: BLQ, BVE, LPA, NAP e TLS

    Alicante 2xw
    Barcelona 7xw (11xw a partir de agosto)
    Berlim 2xw
    Birmingham 2xw
    Bolonha S/voos em S20
    Bordeaux 2xw a partir de agosto
    Bremen 2xw
    Brest 2xw
    Brive S/voos em S20
    Bruxelas CH 3xw (5xw a partir de agosto)
    Bruxelas ZV 3xw (5xw a partir de agosto)
    Budapeste 2xw (3xw a partir de agosto)
    Cagliari 1xw (2xw a partir de agosto)
    Carcassone S/voos em S20
    Clemont Ferrand 2xw
    Colónia 3xw (4xw a partir de agosto)
    Copenhaga 2xw
    Cracóvia 2xw
    Dole 2xw
    Dortmund 2xw
    Dublin 3xw (5xw a partir de agosto)
    Duseldorf 2xw
    Edimburg 2xw
    Eindhoven 2xw
    Faro 3xw (5xw a partir de agosto)
    Frankfurt 3xw (5xw a partir de agosto)
    Gran Canária S/voos em S20
    Grenoble 2xw a partir de agosto
    Hamburg 2xw
    Baden-Baden 2xw
    La Rochelle 2xw a partir de agosto
    Lille 2xw
    Liverpool 2xw
    London STN 7xw (14xw a partir de agosto)
    Luxemburg 3xw (5xw a partir de agosto)
    Madrid 5xw
    Málaga 2xw a partir de agosto
    Malta 2xw
    Manchester 2xw (3xw a partir de agosto)
    Marraquexe 2xw
    Marselha 3xw (5xw a partir de agosto)
    Memmingen 2xw
    Milan Bérgamo 2xw (4xw a partir de agosto)
    Milan Malpensa 2xw
    Nápoles S/voos em S20
    Nuremberg 2xw
    Palma Mallorca 2xw (3xw a partir de agosto)
    Paris BVA 7xw (10xw a partir de agosto)
    Paris Vatry 2xw
    Ponta Delgada 3xw (4xw a partir de agosto)
    Roma CIA 1xw (2xw a partir de agosto)
    Sevilha 2xw a partir de agosto
    Stuttgart 1xw
    Tenerife Sul 1xw
    Terceira – Lajes 1xw (2xw a partir de agosto)
    Toulouse S/voos em S20
    Tours 2xw
    Valência 2xw (3xw a partir de agosto)
    Varsóvia 2xw
    Veneza S/voos em S20
    Vienna 4xw

    1. A easyjet penso que passou o início da operação no Porto de 1 de Junho para 1 de Julho. Não sei se vai ter serviços mínimos até lá… Más notícias.

      A TAP é a vergonha do costume, 3x por semana para Lisboa para já. Lastimáveis como sempre.

      A Lufhtansa começa hoje para Frankfurt (3x semana). A Turkish está previsto para 28 de Maio.

      A Swiss vai fazendo Zurich e Genebra, aliás foi a única que assegurou serviços mínimos neste período.

      O resto vamos ver, mas as datas da tabela vão quase todas derrapar.

      A ver vamos.

    2. Tenho que fazer as contas, mas parece-me melhor do que estava à espera. LPA e NAP já tinham sido canceladas, portanto só saem mesmo BLQ, BVE e TLS, sendo que para TLS está a easyJet.

    1. Efetivamente, um dos primeiros destinos europeus da LH a ser recuperado, segundo eles porque tem visto bastante procura (dentro das circunstâncias) no voo que já recuperaram para Lisboa.

      Aos poucos começamos a ver sinais de recomeço.

  30. Pelo que se vê, os Estados da UE vão andar a injetar dinheiro a torto e a direito nas companhias aéreas… Pedro, o que achas disto? O mercado europeu estava no caminho para ficar consolidado, mas agora vamos continuar com empresas zombie a ser sustentadas com dinheiro dos contribuintes… E numa altura em que a procura vai baixar imenso, não vejo coisas boas no nosso futuro.

    1. Acho natural, nem é só na UE que se está a fazer, é um pouco por todo o mundo. Quanto à questão da consolidação não estou muito preocupado, não me parece que vá parar. Neste momento há boa vontade para injectar dinheiro nas companhias, mas a prazo não vai haver, e a consolidação voltará a ser inevitável. Acresce que muitas das contrapartidas que estamos a ver serão verdadeiros tiros no pé, que podem ser agravadas caso o plano de recuperação europeia (a concretizar-se) preveja agravamento de impostos sobre a aviação ou densificação das redes de alta velocidade.

    1. Infelizmente mais do mesmo…. Não vale a pena o Costa vir fazer charme para as televisões a dizer que o AFSC esta mal aproveitado porque nada muda. Ainda hoje saiu a noticia que o Estado vai ajudar a TAP com o dinheiro de todos nós. No AFSC teremos basicamente 4 rotas porque não considero Porto/Lisboa como rota e em Lisboa as tais 71 rotas/destinos. Continuamos como sempre com o CENTRALISMO a custa de todos nós.

    2. Fácil, boicote total à TAL.
      Apoio imediato à Rianair, Easyjet e outras aéreas por parte das autarquias de todo o norte bem como da associações industriais e comerciais. Força Norte.

    3. José Carneiro…..

      Mas não deixa de ser todo o pais a contribuir apenas para uma região…. Então para isso A TAL passa a ser uma companhia regional e deve ser sim alimentada financeiramente pela area metropolitana de Lisboa e não directamente do estado.

    4. Claramente a programação deles ainda está muito instável. Nota-se que já começam a passar a tesoura também em Lisboa, aproveitando para adiar os voos para a Galiza antes que a CS se apercebesse e para fazer uma redução geral de frequências. Mas ainda se notam algumas aberrações algo incompreensíveis.

      Sobre a privatização, como disse antes, se é para isto não vale a pena resgatar, embora ache que os nossos interesses vão muito para lá de uma simples soma de nº de destinos. Estou a preparar um artigo sobre isso, a ver se consigo publicar até ao final do mês.

  31. Atualização 11/05/2020

    Air Transat: 1 julho
    Air Europa: 15 julho (7xw até 31 de agosto)
    Azores Airlines: 15 junho
    EasyJet: 1 junho
    Luxair: 1 junho
    Transavia Holand: 28 maio
    Transavia France: 4 junho (muito limitado até 1 julho)
    Vueling: 1 julho
    Wizz: 2 junho

    1. Já atualizado! Relativamente ao STN, os dois primeiros voos de Londres para o Porto já aparecem como cheios, imagino que com reservas alteradas de outros voos que foram sendo cancelados. Os restantes até ao final do mês aparecem com preços bastante salgados, à semelhança do que se tem visto na restante operação mínima que tem estado a fazer.

    1. Berlim já retirado do sistema.
      Para já, apenas STN continua como “serviços mínimos”

    1. Nunca será perto do normal, porque duvido que deixem os aviões terem as taxas de ocupação que tinham dantes, praticamente cheios.

    2. Segundo as noticias a “LUFTHANSA EXIGE USO DE MÁSCARA E DEIXA DE GARANTIR LUGAR VAZIO AO LADO DE CADA PASSAGEIRO”. Portanto desde que existam passageiros vai ter a ocupação maxima disponivel.

  32. Atualização 04/05/2020

    Brithis Airways: 1 Julho
    EasyJet: 22 Maio
    Lauda: 22 Maio
    Luxair: operação limitada até 1 de junho
    Ryanair: 22 Maio
    Turkish Airlines: 28 Maio

    *nota: continuo sem encontrar uma data disponível para a TAAG

    1. Obrigado MSA! Continuamos sem data para a reabertura de Schengen, portanto provavelmente teremos mais recomeços a derrapar.

      A TAAG tem os voos no sistema, só não tem inventário.

    1. Bom comentário sem dúvida, e é importante que ele continue a fazer barulho, porque já se percebeu Lisboa e os opinion makers do costume já se mobilizam para proteger os interesses da capital à custa do resto do país.

  33. O plano apresentado pela TAP para o Porto é, na minha opinião, um desrespeito total para com toda a população Porto e norte + centro. Fiquei muito surpreendida quando recebi o contacto do autor desta reportagem para validar a situação. A partir de uma rápida pesquisa constatei que tal era verdade o que deixou mais inquieta. Dizer que este afastamento da TAP é grave deve ser o mais dito nestes últimos dias. Mas tentei ir mais longe e fazer uma linha de gravidade por rota. AMS acaba por ter uma cobertura da KLM se bem que esta companhia não pertence ao grupo Star Alliance como a TAP. MUC e LUX acabam por ter code-share com a TAP ainda que o número de frequências oferecidas pelas companhias estrangeiras sejam insuficientes para cobrir o espaço deixado pela TAP. Estamos aqui a falar não só de ligações “via” (no caso de MUC) mas também de ligações ponto a ponto pelo carácter de movimentos de emigrantes (no caso de LUX). Os casos que me parecem mais graves neste momento são PDL – ficamos pendentes da decisão da Azores Airlines (que também modificou a oferta passando a concentrar tudo em PDL – oferecendo 9xw – e deixando cair TER pelo menos em S20). Zurique e Genebra parece-me evidente pelo volume de passageiros que o Porto tem com a Suiça. No que toca ao principal mercado de exportações – MXP- a dimensão do problema agrava-se uma vez que ficamos reféns da Ryanair que não apresenta uma oferta volumosa para Milão (considerando BGY e MXP). O outro problema, transversal a todo mundo, está no longo curso deixando pelo menos 2xw para EWR mas, por outro lado, cortando GRU e GIG. A ponte aérea também sofre um corte considerável para metade diminuído assim a disponibilidade de “boas” ligações via LIS. É certo que não estamos em tempo de esperar grandes entradas ou novas frequências no AFSC contudo, é cada vez mais necessária a entrada da IBERIA com o Night-Stop bem como um reforço para rotas essenciais como GVA, MXP e LUX.
    De notar que, para já, SID ainda não caiu.

    1. Nesta altura acho que o problema das ligações via Porto nem se coloca muito, porque sem longo curso pouco fica pouco para ligar, e dadas as circunstâncias não me parece prioritário. Seria importante para as Ilhas, mas com 1 voo para o Funchal fica pouco, o que por sua vez se traduz em menor conectividade das RA à Europa.
      Não quero individualizar por rotas, mas o raciocínio detrás disto é obviamente insultuoso, nem só para o Porto mas para o País inteiro. Sabemos que este ano 99% dos voos serão deficitários, e sabemos que a TAP não tem dinheiro para os operar. Ou seja, os voos que a TAP recuperar serão à custa do contribuinte e do resgate que se está a preparar. Portanto, com os fundos dos contribuintes, a TAP pretende efectivamente subsidiar:
      – Tráfego principalmente étnico do centro da Europa para destinos como Accra, Abidjan, Conakry ou Dakar;
      – Férias de Europeus em destinos fora de Portugal como Ilhas Canárias ou Miami, com o descaramento de lançar destinos como Agadir, Maceió e Cancún no contexto em que vivemos;
      – Férias de Americanos, Canadianos e Brasileiros na Europa;
      – A conectividade da Galiza com o lançamento de 2 voos por dia para Santiago;
      – A conectividade de Lisboa.
      Os objectivos fundamentais, pelos quais já nos vão dizendo que o resgate se justifica (ligação à diáspora, continuidade territorial, redução da posição periférica do país, etc) esses levam uma tesourada:
      – Rotas como OPO-GVA/ZRH/LUX ficam em zero, e outras como OPO-PAR/LON ficam com 1 Embraer por dia. A partir de Lisboa tem uma programação com vários voos por dia (salvo LUX) inclusivamente com A321s programados;
      – Voos para os Açores e para a Madeira muito reduzidos, a partir do Porto deixam unicamente 4 semanais para o Funchal. No caso dos Açores, continuamos a ver uma atitude predatória da TAP em relação à Azores, apesar de serem ambas estatais;
      – A politica tarifária continua a estimular fortemente o tráfego de transferência em detrimento do tráfego com destino a Portugal.
      O que se quer é que resgatemos a TAP, não para benefício do País, mas para beneficio de terceiros e da região de Lisboa. Se a AML e os privados tiverem e quiserem pagar o resgate, força, se não tem suficiente ou não querem investir fecha-se a empresa e poupa-se o dinheiro dos contribuintes.

    2. Parece que finalmente nos dás razão Pedro. Eu sempre desconfiei da agenda da TAL, e parece que estamos certo… só precisam de nós para financiarem o buraco deles, de resto estão-se a cagar para o Porto

    3. Se é para TODOS NÓS injetarmos dinheiro na TAP, então terá também de servir o AFSC !. Caso contrário, que encerre como todas as outras ….

    4. Allure, eu nunca achei que tivessem uma agenda contra o Porto, até porque a operação deles no AFSC duplicou, e como o Rui Moreira também disse, a nivel da gestão eles estavam comprometidos com isso. A máquina que está abaixo, na operação diária, essa claramente só vê a Portela e há muita gente lá que se ressente da operação no Porto.

      A ANA, para quem não se lembra, durante muitos anos geria o AFSC desde Lisboa. Os resultados são conhecidos de todos, como são conhecidos os resultados a partir do momento que a gestão passou a ser descentralizada. Se calhar seria um bom ponto para melhorar a TAP, descentralizar serviços como os departamentos de rotas ou operações.

    5. E o pior é o presidente da TAP considerar a notícia uma fake news quando a programação aponta precisamente para o conteúdo da notícia.
      É uma máquina negra esta por detrás da TAP…

    6. PMF, acabei de ver
      Como é possível fazer uma afirmação daquelas se as cartas estão todas em cima da mesa ?
      Se ele quisesse já tinha emitido uma nota de imprensa a justificar a fake news mas ele não pode porque não tem qualquer fundamento para se justificar. Alguém com pouco conhecedor de avião faz uma pesquisa no sistema de reservas e vê logo o que está disponível no Porto (4 rotas) e em Lisboa (71 rotas)…

    7. Eu acho que esta pandemia prova que eles se pudessem, livrar-se-iam do Porto num ápice. Só servem a cidade porque tem de ser, mas se puderem fugir com o rabo entre as pernas, é o que fazem. O facto do primeiro plano, ou instinto, é de ignorar totalemente o Porto após esta pandemia, diz muito sobre o que pensam os nossos caríssimos lisboetas sobre o Porto e o país em geral. Só olham para o próprio umbigo, como tem sido normal desde sempre

    8. Quem falou no fundo foi o presidente da CTP, uma entidade financiada em parte pela TAP. Nunca os vi dizer o que quer que fosse em contra da TAP, bem pelo contrário, não me surpreende que os venham defender novamente.

      O que é indiscutível é que os voos foram praticamente todos retirados do sistema. Se é mal entendido, só se podem culpar a eles próprios, porque já tiveram tempo suficiente para clarificar e/ou resolver o assunto.

    1. O mesmo de sempre…. tudo em Lisboa e governantes todos por Lisboa…. (por onde anda a oposição)

    2. O expectável, tal como a reacção. Já começamos a ver Rui Moreira falar no assunto, o JN a preparar artigos… o que a TAP está a preparar é muita lenha para a oposição ao resgate do contribuinte. Por outro lado, seria importante as forças da região não cometerem o mesmo erro que cometeram aquando da privatização, e tivessem um plano estruturado do que a região quer para o futuro.

      Eu até entenderia que no inicio a recuperação começasse por Lisboa, mas o nível de operação que está planeada para a Portela é elevado suficiente para justificar níveis de operação mais elevados no Porto também. Em circunstâncias normais um resgate à TAP seria difícil de justificar, mas nestes moldes seria até insultuoso.

    1. Seria o movimento expectável, pelo menos este ano. Provavelmente conseguem encaixar uma operação reduzida de Gatwick em Heathrow, e centralizam tudo lá durante uns tempos.

      O Porto é uma rota relativamente estável da BA em Gatwick, portanto a haver centralização provavelmente também passaria.

    1. Há bastantes aviões sim, da Ryanair, easyJet e da TAP principalmente. Os da Ryanair até tem andado a fazer voos curtos para manterem os aviões e as tripulações operacionais.

  34. Com a iminência da falência da TAAG, de que forma vêm a entrada da TAP na rota (presumindo eu que, a acontecer, será com o A321LR)

    1. Duvido que Angola deixe a TAAG falir.

      Sobre a TAP, acredito que terão a tentação de levantar primeiro a operação em Lisboa e só depois recuperar o longo curso no Porto, não os imagino a abrir Luanda nesta altura. Por outro lado, é a mesma companhia que auncia voos de Lisboa para Cancun nas circunstâncias atuais e depois vem pedir dinheiro ao Estado, portanto tudo é possível.

  35. A partir de 1 de julho:
    TAP – Recomeço da operação

    LHR: 7xw (substitui 14xw para LGW)
    CDG: 7xw (substitui 21xw para ORY)
    FNC: 4xw
    LIS: 28xw

    1. Obrigado pela atualização MSA! Muitos atrasos nos recomeços, e sem visibilidade na reabertura de Schengen provavelmente teremos mais. Interessante a TAP ter passado o voo para Heathrow, pensei que a BA o faria mas nem me tinha ocorrido que a TAP o fizesse. Surpreende-me também que ainda não vejamos rotas a passarem para formatos de tag ou para triangulares, como já se vê nos EUA.

      Com a United menos uma de longo curso, que vai ser o segmento mais afetado sem dúvida. Esperemos que seja possível voltarem em 2021.

    2. Estava a pensar, por exemplo, no regresso das escalas em Lisboa dos TAAG e dos Air Transat, mas poderiamos ver em voos europeus também, por exemplo, ter companhias como a Turkish ou a Aegean a combinar pontualmente os voos do Porto e Lisboa.

    3. O movimento para LHR é temporário.

      Em Maio não há voos da TAP para LGW (de OPO ou LIS), pelo que a TAP concentrou todas as operações em LHR. O caso de CDG é devido ao encerramento de ORY.

      É absurdo buscar razões comerciais nestes tempos.

  36. Atualização 25/04/2020:

    Aegean: 4 Junho
    AirEuropa: 1 Julho
    AirFrance: 1 Junho
    AzoresAirlines: 1 Junho (operação limitada até 7 de Junho)
    Eurowings: 2 Junho
    Iberia: 2 Junho (operação muito limitada até 1 Julho)
    Lufthansa: 18 Maio
    TAAG: Suspensão por tempo indeterminado
    Luxair: 20 Maio
    Royal Air Maroc: 1 Junho
    Volotea: 31 Maio
    Wizz: 1 Junho

    1. O mesmo se disse na crise de há 10 anos, aquando do 11 de Setembro, etc. e no fim sabemos os resultados. Pode 1/2/3 anos , mas acho pouco provável não haver uma recuperação.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.